¼ de século | 30 antes dos 30

quarta-feira, 30 de setembro de 2015

Hoje é o meu aniversário! Cheguei finalmente aos 25 anos.

Não tenho aquela famosa neura de estar ficando mais velha, afinal é uma coisa tão natural de acontecer, que ao invés de ficarmos lamentando, eu acho é que deveríamos ficar felizes por mais um ano de vida conquistado.

Eu elaborei uma lista de 30 coisas que ainda quero fazer antes de completar 30 anos, ou seja, tenho cinco anos para tentar completar tudo. Apesar disso ser uma meta, eu não vejo exatamente assim. Se eu conseguir completar tudo, legal, mas se também não conseguir, não tenho problema em continuar além dos meus trinta anos, até riscar cada um desses itens. Algumas coisas são simples e outras mais complexas, mas que mesmo assim todos me deixariam bastante realizada de alcançar, afinal são coisas, grandes e pequenas, que sempre quis experimentar, testar, viver, passar, alcançar.



     1. Fazer uma tatuagem.
     2. Fazer aulas de Pole Dance.
     3. Aprender a dirigir e tirar minha carta.
     4. Me formar na faculdade de Rádio, TV e Internet.
     5. Arrumar um trabalho na minha área.
     6. Comprar um apartamento ou quitinete.
     7. Aprender a passar delineador.
     8. Conseguir usar vestidos naturalmente.
     9. Aprender a andar de salto.
     10. Comprar uma câmera DSLR.
     11. Ser mais sociável.
     12. Viajar com os amigos.
     13. Ver o nascer do sol em algum lugar.
     14. Passar um final de semana em Campos do Jordão com companhia.
     15. Viajar para fora do estado de São Paulo.
     16. Pular de asa delta e/ou paraquedas.
     17. Levar meus pais num restaurante caro e chique e pagar a conta.
     18. Terminar o curso de teatro e conseguir meu DRT.
     19. Patinar no gelo.
     20. Deixar meu cabelo crescer até a cintura.
     21. Adotar meu próprio gato (depois de realizar o item 6)
     22. Fazer sexo num lugar bem inusitado.
     23. Acampar.
     24. Comprar um carro.
     25. Completar 500 livros lidos no Skoob.
     26. Ser voluntária em alguma ONG.
     27. Fazer uma poupança durante três meses e gastar tudo em livros.
     28. Ir num show da Britney Spears.
     29. Tomar um banho de mar a noite.
     30. Apaixonar-me.

[Desafio das 52 semanas] Semana 39: Minhas melhores qualidades:

segunda-feira, 28 de setembro de 2015

1. Organizada
Organização é comigo mesmo. Não consigo ver nada bagunçado ou fora do lugar que já tenho o ímpeto de sair arrumando tudo, colocar cada coisa em seu lugar. Gosto de catalogar as coisas, colocar em ordem alfabética, porque é horrível deixar as coisas jogadas por aí e eu não conseguir encontrar depois. Por isso faço questão de organizar tudo o que eu vejo pela frente.


2. Discrição
Eu sou uma pessoa que gosto de ficar mais na minha sempre, não sou de sair por aí como um pavão querendo chamar a atenção de todo mundo. Costumo ser bastante discreta. E é por causa disso que quando alguém pisa na bola sem querer e não percebeu, ao invés de jogar na cara dela na frente de todo mundo, eu dou um toque de forma discreta, para que apenas ela saiba e mais ninguém. Eu também sou ótima para guardar segredos, não saio espalhando para ninguém nunca.

3. Gente boa
Não sou má, sou boazinha até demais com as pessoas em geral (mas jamais deixando ninguém se aproveitar de mim, claro). Procuro manter um bom relacionamento com todo mundo à minha volta, sejam conhecidos ou desconhecidos, pessoas próximas ou que não tenho tanta intimidade, não importa. Sou muito leal, amiga, carinhosa, companheira, gentil. Sou totalmente contra prejudicar alguém para conseguir algo que eu quero. Sei que o mundo vai tentar se aproveitar de mim por causa disso, mas eu me recuso a ceder e me tornar apenas mais uma pessoa amargurada sem compaixão pelo próximo.


4. Paciente
Eu não vivo ligada nos 220v, na eterna correria, isso me cansa e desgasta, não quero viver assim. Procuro ser uma pessoa bem calma e tranquila, zen. Não acho que vale a pena se estressar todo santo dia com a correria do dia-a-dia, isso não é viver. E é sendo essa pessoa calma que eu consigo ser bastante paciente.


5. Comprometida
Eu sou uma pessoa que se me comprometo a fazer algo, eu faço mesmo, não importa quantos obstáculos surjam no caminho. Se a pessoa me pediu um favor e eu disse que vou fazer, eu fico pensando que a pessoa está dependendo de mim para aquilo e que seria muita mancada minha se eu não fizesse, eu não gostaria que me deixassem na mão depois de me disserem que vão fazer e não fazem, daí como eu fico? Então claro que não importa o que aconteça, se eu prometo algo, eu VOU cumprir.

[Desafio das 52 semanas] Semana 38: Desculpe, mas eu acho brega:

segunda-feira, 21 de setembro de 2015

1. Perfil de casal em rede social
Realmente não consigo entender a necessidade disso. Eles acham que vão ser louvados por todos os amigos e familiares como o “casal do ano” ou o quê? Para ficar mostrando o quão “felizes” eles são? Acham que de alguma maneira é útil e prático? Não faço ideia.


2. Unhas exageradamente compridas e Nail Art em todas elas
Tem diferença entre unhas grandes e unhas ridiculamente gigantescas. Particularmente acho um charme unhas pequenas, unhas médias bonitas e um arraso unhas grandes; mas as que são gigantescas a ponto de atrapalhar, acho desnecessário. E outra, é preciso ter cuidado para fazer uma Nail Art simples em apenas uma unha ou duas, mas em todas eu já acho brega.


3. Roupas fosforescente
Isso é querer chamar atenção em qualquer lugar que vá, não tem outra explicação. O problema é que você vai atrair olhares horrorizados, ao invés de aprovação. Acho esse tipo de roupa muito chamativa (óbvio), mas no mau sentido. Não pague mico usando nada do tipo.



4. Tênis com salto
Ou se usa tênis ou salto, já os dois numa coisa só não faz o menor sentido. Em que ocasião as pessoas costumam usar isso? Para ir ao parque, escola, shopping? Uma festa chique? Que roupa combina com isso?


5. Legging estampada
Não vou generalizar porque confesso que tem algumas estampas bonitas, mas tem muitas outras também que são cafonas e bregas, por isso tome muito cuidado para não errar no resto do look. Normalmente, uma legging estampada requer uma blusa bem básica e preta. E outra, como essa peça é uma que chama muito a atenção, ela não iria valorizar muito as pessoas de pernas grossas. Por isso, tenha bastante cuidado na hora de combinar uma legging estampada com o seu look, estilo e ocasião.

TAG: Meu Bichinho de Estimação – Lylú

quinta-feira, 17 de setembro de 2015

1. Qual é o nome do seu bichinho?
Lylú. Eu simplesmente achava fofo esse nome para uma gatinha, daí inicialmente eu coloquei nela o nome “Lilú”. Mas acontece que eu tenho uma grande amiga que conheci na escola e mantemos contato até hoje, ela se chama Jessyka, o nome dela se escreve com “Y” e “K” mesmo. Daí em homenagem a ela, uma amiga nossa em comum resolveu mudar o nome da cadela dela de Capitu para Kapytu, também com “Y” e “K”, haha. Daí eu entrei no embalo e resolvi fazer o mesmo com minha gata, e mudei o nome dela para Lylú com “Y” mesmo.

2. Como você o adquiriu?
Eu e minha família fomos visitar uns parentes em Campo Limpo/SP. Daí na casa deles tinha uma gata que tinha acabado de dar cria, três gatinhos: duas fêmeas e um macho. Minha avó que estava junto resolveu levar uma das fêmeas para a minha tia. Daí na época, como em casa só tinha um gato, um macho (Salem – RIP), e nós sempre estivemos acostumados a ter dois gatos, eu e minhas irmãs pedimos para nossos pais adotar a outra fêmea, ao que eles concordaram, e trouxemos a Lylú para casa.

3. Qual é a raça dele?
A Lylú é uma mistura de siamesa com vira-lata, mas nada confirmado.

4. Qual é a idade dele?
A Lylú nasceu em fevereiro de 2007, então hoje ela tem 8 anos.

5. O que ele faz que é engraçado/fofo?
Aqui em casa a gente costuma dizer que a Lylú é “mulher de malandro”. Ela gosta e ao mesmo tempo não gosta que a gente fica batendo na bunda dela de brincadeira, nada forte. Ela mia reclamando ao mesmo tempo em que se esfrega toda carinhosa nas nossas pernas, vai entender!

Também é bem engraçado quando a gente coloca um pouco de erva de gatos no arranhador dela, daí ela vai à loucura abraçando, arranhando e se pendurando no arranhador, haha.

6. Quais as manias dele?
Cada um tem o seu canto favorito da casa. Quando está calor, a Lylú gosta de deitar no chão da sala, debaixo da poltrona. Mas quando está frio, ela costuma deitar na cama da minha irmã, no meio das cobertas, e passa o dia inteiro lá.

Sempre que ela leva bronca nossa porque fez xixi no chão (quando a areia está suja, ela não quer fazer lá de jeito nenhum), ela fica mal-humorada e bate no coitado no Garu se ele estiver no caminho dela. Lylú já está virando aquelas velhas resmungonas, haha.

7. O que de estranho ele gosta de brincar?
O mais estranho na Lylú é que ela GOSTA de levar uns tapas na bunda, de brincadeira e claro que sem ser com força. Fora isso, ela não se interessa muito por bolinhas de nem fitinhas.

8. O que ele não gosta que faça com ele?
Banho! Existem os gatos que gostam, os que não gostam mas suportam, os que odeiam e existe a Lylú, que entra em desespero e não para de miar e tentar fugir um segundo sequer. Quem vê, pensa que estamos matando a gata, tamanho os miados altos e desesperados. A gente faz o melhor possível para ela, tipo dar banho no banheiro, dentro do box, no verão, usamos água morna, e é só uma vez por ano, mas mesmo assim ela detesta, é bem exagerada. Depois do banho ela passa o resto do dia se lambendo e extremamente brava com todos nós, haha.


[Desafio das 52 semanas] Semana 37: O que, de melhor, o mundo virtual te trouxe/traz?

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

1. Entretenimento
Sou uma pessoa que ama assistir filmes e séries, ler livros, ouvir música, ver vídeos legais e/ou interessantes; e eu posso fazer tudo isso através da Internet. Rápido, fácil, num instante, sem gastar nada. Quantos livros eu não teria lido se não fosse a Internet! Quantas séries eu não teria passado nervoso esperando os episódios passarem na televisão, se não fosse a Internet!


2. Compras
Milhares de coisas custam muito mais barato pela Internet do que na loja física, você só precisa prestar atenção nos preços, fazer comparações e ver se o vendedor é de confiança, tem boa reputação. Livros mesmo eu só compro pela Internet, tem a parte chata de esperar uns dias para receber, mas eu acho que vale a pena porque custou mais barato e vem perfeito, sem nenhum dano.


3. Manter contato com pessoas queridas e conhecer outras novas
Pela Internet eu me mantenho atualizada sobre como vai a vida das pessoas que eu sigo e me importo, posso também mandar uma mensagem para matar as saudades que a outra pessoa receberá e me responderá assim que possível, sem nenhum custo ou espera. Também conheci várias pessoas novas, com os mesmos gostos que eu, e assim fiz muitas amizades que me renderam várias horas de felicidade.


4. Google Maps
Pensa numa pessoa que não pode dar uma volta de 360° se não já fica perdida, essa pessoa sou eu! Eu não tenho o menor senso de direção, me perco fácil e preciso parar todo mundo que eu vejo na rua para pedir informação sobre como chegar no lugar que eu quero. É por isso que o Google Maps é uma salvação na minha vida, ele me mostra o ponto onde estou, o lugar onde quero chegar e as diversas rotas que eu posso escolher seguir, ele literalmente desenha o caminho para mim, hahaha. Não dá para viver sem!


5. Estudos e trabalhos
Quando eu era criança e não tinha Internet, minha mãe que costumava pesquisar os trabalhos da escola para mim nas várias enciclopédias gigantescas que ela tinha, daí eu só copiava a mão. Tenho certeza que depois que eu crescesse, se não houvesse Internet, daí seria a minha vez de ter todo o trabalho de pesquisar nos vários livros que ela tinha e copiar a mão. Felizmente hoje temos Internet e todo mundo sabe da facilidade e praticidade que é fazer uma pesquisa de escola ou faculdade, além também de aprendermos mais sobre determinado assunto.

[+QP] Um dia chuvoso numa cabana

quarta-feira, 9 de setembro de 2015
Foto: Zé Nogueira

Nunca passei literalmente um dia chuvoso numa cabana, por isso só posso imaginar como deve ser, com base no meu limitado conhecimento através de histórias que leio nos livros ou os filmes que eu assisto.

Nas histórias fictícias, os personagens chegam molhados e enlameados numa cabana que eles encontram no meio de uma floresta, depois de andarem pela mata durante muito tempo, perdidos. Tudo está indo mal. Eles estão todos molhados, perdidos, e normalmente se odeiam, mas são obrigados e dividirem aquele pequeno espaço enquanto for de noite e estiver chovendo. Eles acendem a lareira, encontram cobertores e comida estocada nos armários da cozinha, dividem tudo, e é assim que aos poucos a raiva vai se transformando, vai passando, e eles passam a se conhecerem melhor. Começam a conversar, colocam todas as cartas na mesa, desabafam, por fim se compreendem e se aceitam. E é assim que no dia seguinte, com o sol e sem mais chuva, os personagens podem sair e procurar o caminho, mas dessa vez transformados, sem mais raiva e amargura um pelo outro.

Faz a gente pensar que as cabanas no meio de florestas são mágicas, se você passar uma noite chuvosa dentro dela, em companhia de alguém que você odeia, no dia seguinte a chuva terá passado e vocês estarão se amando, haha.

Mas histórias à parte, eu gostaria de muito de passar um dia inteiro chuvoso dentro de uma cabana. Algo que fosse bem rústico e confortável, se estivesse frio e tivesse uma lareira acesa e cobertores à minha disposição, melhor ainda. Provavelmente eu me sentaria perto de uma janela e ficaria revezando entre olhar a chuva cair e ler um livro, por vezes bebendo chococino.

Também seria maravilhoso ter a companhia de alguém que eu goste muito. Nós ficaríamos abraçados em frente à lareira, comendo, bebendo e jogando conversa fora. Poderíamos ficar deitados na cama o tempo todo, olhando a chuva cair pela janela. O tempo deveria estar frio e chuva bem intensa. Não sou muito fã de frio, mas abro uma exceção para essa situação em particular.

Passar um final de semana assim para relaxar seria perfeito, seja em comemoração a alguma coisa ou por motivo nenhum, não importa. Ainda quero (e vou) fazer isso alguma vez na minha vida.

Renata Carvalho
(17.10.2015)


Eu não sou muito de inventar histórias com personagens fictícios. Gosto mais de escrever coisas reais sobre mim mesma, coisas que já passei ou que quero passar, meus sonhos, medos, vontades, pensamentos, desabafos. É por isso que a maioria dos meus posts no desafio Mais Que Palavras são assim.

O +QP (Mais Que Palavras) é um grupo no facebook que propõe temas mensais de escrita para desenvolvermos mais nossa criatividade na hora da dissertação de textos, contos, crônicas, poesias e o que mais quisermos. É um empurrãozinho para sairmos da nossa zona de conforto e nos aventurarmos a bolar textos cada vez mais elaborados e criativos. Todo mês é selecionado um tema, mediante votação, e você tem até o último dia do mês para publicar seu texto no seu blog. Para saber mais, conheça o grupo.

[Desafio das 52 semanas] Semana 36: Morro de preguiça de...

segunda-feira, 7 de setembro de 2015

1. Fazer exercícios físicos
Não conheço ninguém mais sedentária do que eu. Só de pensar em sair de casa para fazer uma caminhada ou ir à academia, a preguiça me domina por completo. Eu dou graças a Deus por não ter problemas de saúde e nem neuras para emagrecer, coisas que me obrigariam a fazer exercícios físicos, porque isso não é comigo mesmo.


2. Me arrumar para sair
Eu não sou aquele tipo de pessoa vaidosa que adora se embonecar toda para sair, eu curto mais ficar em casa desarrumada mesmo, porém confortável. É por isso que sempre que preciso me arrumar para sair, me bate uma preguiça monstra. São várias etapas a se percorrer: tomar banho, lavar o cabelo, secar e fazer chapinha, maquiagem, escolher uma roupa, arrumar a bolsa, sair de casa e chegar no local. Aff...


3. Acordar cedo
Quem nunca teve preguiça de acordar cedo que atire a primeira pedra! É difícil abandonar a cama confortável e o sono gostoso bem cedo e levantar, essa é uma das maiores tristezas que muita gente precisa enfrentar todos os dias e não é nada fácil. Você pode se adaptar e aceitar esse fato, mas não vai chegar a gostar de fato.


4. Fazer faxina
Não sou nenhuma neurótica por faxina e limpeza, talvez porque eu more na casa dos meus pais, e não na minha própria casa, não sei. O máximo que acontece é num belo dia, sem mais e nem menos, eu sentir necessidade de organizar o meu quarto, colocar cada coisa em seu lugar, mas não é sempre assim, e quando não estou com vontade de arrumar nada, a bagunça pode durar dias.


5. Interagir com as pessoas
Tenho muita preguiça de interagir com as pessoas, jogar conversa fora, bater papo. Gosto muito mais de ficar sozinha comigo mesma e meus pensamentos, sem precisar ficar entretendo ninguém, fazer perguntas inúteis, porém educadas e necessárias (Como vai? Tudo bem? E a família? Está trabalhando? Estudando?). É chato demais!

Um balanço do BEDA 2015

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Agosto foi um dos meses mais corridos do ano para mim. Não só foi o mês da minha volta às aulas na faculdade, ter que absorver muita teoria que os professores dão, além dos trabalhos que já temos que começar a pensar no que fazer, mas também me propus a participar do primeiro BEDA (Blog Every Day August), promovido pelo Rotaroots.

Eu fiquei muito assustada com a ideia de ter que postar todos os dias, não sabia se eu iria dar conta, afinal até então eu já lutava para tentar postar pelo menos três vezes por semana. Mas resolvi encarar o desafio, testar minha capacidade, deixar a preguiça de lado. Eu sabia que se eu me organizasse e me programasse, daria tudo certo, e foi o que eu fiz (quer dizer, mais ou menos).

Confira todas as etapas que eu passei para que a minha participação no BEDA fosse um sucesso:


1. TEMAS FIXOS
Pelo menos EU não teria conseguido me organizar se tivesse decidido postar qualquer coisa que me desse na telha, aleatoriamente. Eu teria ficado muito perdida, sem saber quais posts já foram ao ar e quais não foram. O primeiro passo que tomei para o BEDA foi fazer uma seleção de temas que iriam ao ar em cada dia da semana.

- Segunda: Como eu já estava participando do Desafio das 52 semanas, cujos posts vão ao ar toda segunda-feira, eu defini que continuaria postando esse tema nas segundas.
- Terça: Há muito tempo que eu queria fazer posts específicos de wishlist, vários livros que eu queria ter, DVDs, bolsas e mochilas, defini então que às terças-feiras esses posts iriam finalmente sair do papel e aparecerem no blog.
- Quarta: Há algum tempo eu li e resenhei uma série de quatro livros, mas ainda não tinha publicado. Aproveitei então que o mês tem quatro quartas-feiras, e decidi postar a resenha da série inteira, um livro por semana.
- Quinta: Eu gosto muito de fazer listas dos meus filmes e séries favoritos, filmes que recomendo, canais favoritos, tudo tem uma lista para mim. Resolvi então fazer esses posts de algumas listas aleatórias que eu tinha, tais como todos os seriados que terminei de assistir e também os que vou começar a assistir, documentários que assisti na Netflix e adorei, os canais no Youtube que gosto muito de acompanhar.
- Sexta: O BEDA deu um UP legal para a categoria de TAGs no meu blog, o que me deixou muito feliz. Eu não sabia se as pessoas ainda gostavam de TAGs por escrito (o que tá bombando mesmo são TAGs por vídeos), mas eu resolvi largar mão e fazer logo o que eu queria. Eu não faço vídeos para o Youtube, e só por causa disso não iria participar de TAG nenhuma? De jeito nenhum! Respondi várias TAGs no meu blog por escrito mesmo e me diverti muito.
- Sábado: No sábado eu reservei para participar das blogagens coletivas dos grupos que participo no facebook, tais como o Mais Que Palavras (+QP), o Lente Criativa e até o próprio Rotaroots.
- Domingo: E no domingo, deixei para fazer um post contando como foi a minha semana e recomendar outros posts legais dos meus blogs favoritos, simples assim.

2. PLANILHA
Descobri que ter uma planilha no excel do mês de agosto com todos os posts já marcados em todos os dias do mês ajuda muito! Foi ótimo ter pensado previamente quais posts iriam ao ar e em quais dias. Eu só precisava abrir a planilha para saber quais posts já tinham sido escritos e quais ainda não tinham, quais precisavam ir ao ar e quais já tinham sido postados no blog. Eu recomendo fortemente que vocês tenham uma planilha dessas para se organizarem com o blog ao longo do mês, é sucesso garantido. Eu pelo menos já não me imagino mais sem.

3. POSTAGENS ADIANTADAS (sqn)
Essa eu confesso que falhei no que tinha programado fazer, mas não houve danos. Eu tinha planejado ficar uma semana adiantada com os posts, já ter os próximos sete posts feitos e prontos para serem publicados, dessa forma eu ficaria mais tranquila, sem correria. Mas não foi o que aconteceu.

Por algum motivo, eu não consegui fazer isso. Todos os posts do BEDA que foram ao ar, foram feitos por mim apenas um dia antes, no dia anterior, e não uma semana antes, como eu pretendia. Eu sabia que era muito arriscado, e se chegasse o dia em que eu não estava a fim de fazer post nenhum? No máximo que eu adiantava de vez em quando eram só dois ou três posts, mas não sete. Ainda assim, para a minha surpresa, eu fiquei empolgada com o BEDA por um longo tempo, mais da metade do mês, e por isso eu não cansei tão cedo de fazer posts e raríssimos foram os que atrasaram.

4. DIVULGAÇÃO
Assim que eu terminava de fazer um post novo e já programava para ir ao ar, eu fazia duas imagens para divulgar o post nas redes sociais: uma retangular para divulgar na fanpage e no twitter do blog, e outra quadrada para divulgar no instagram do blog. Nessas imagens eu colocava qual número do BEDA era (ex: BEDA #07, BEDA #18, BEDA #23), colocava o título do post e também o link do blog.

Assim que o post ia ao ar, todos os dias às 10h, eu já divulgava o link nas planilhas que o Rotaroots disponibilizou durante o BEDA, divulgava no twitter de manhã, no instagram de tarde e na fanpage de noite.

CONCLUSÃO
Eu teimo demais em postar no blog qualquer coisa que me der na telha, aleatoriamente, sem planejamento ou programação, e isso nunca é uma boa coisa para mim. Eu fico perdida sobre quais posts foram ao ar ou não, não sei quais posts são urgentes e quais não são, fico toda desorganizada, desanimo e não quero postar mais, daí acabo sumindo daqui por um tempo.

A melhor coisa a se fazer, que sempre deu certo todas as vezes que usei essa técnica, é: planejamento e programação. Botar no papel todos os posts que eu quero fazer para aquele mês, depois encaixar cada um desses posts na planilha do mês, exatamente no dia que eu quero que ele vá ao ar. Desse modo eu consigo olhar a coisa de uma forma geral e me programo melhor com meus afazeres.

Theme Base por Erica Pires © 2013 | Livro de Memórias, por Renata Carvalho | Blog no ar desde 03.05.2013 | Versão 2.2 no ar desde 01.01.2014 | Topo