[Desafio das 52 semanas] Semana 26: Se eu pudesse trocar de profissão, eu seria...

segunda-feira, 29 de junho de 2015
1. Blogueira e Youtuber
Eu já sou blogueira, mas não vivo do blog, ele não me dá dinheiro. Eu blogo por puro hobby e prazer, mas eu não ligaria de ganhar um dinheirinho com esse hobby. Poder trabalhar em casa de pijamas mesmo, fazer posts sobre coisas legais que eu goste muito, receber algum produto (“de graça”) para poder testar e depois resenhar no blog, receber convites para eventos ou para viajar, com todas as despesas pagas. Não estou dizendo que é moleza, sei bem que é trabalhoso fazer vários posts para ir ao ar todos os dias e vídeos no Youtube para serem publicados três vezes por semana, mas mesmo assim deve ser muito bom ser uma subcelebridade.


2. Bibliotecária
Depois de Rádio, TV e Internet, estou pensando em começar a faculdade de Biblioteconomia. Sonho em trabalhar com livros, classificar, organizar, conservar, catalogar, preservar e limpar várias e várias prateleiras de livros. Para uma pessoa extremamente organizada, perfeccionista, detalhista, com mania de organização e não alérgica a poeira, esse trabalho seria perfeito para mim.


3. Cineasta
Outra paixão minha é o cinema. Sempre tive fascinação pelos bastidores de uma grande produção audiovisual, saber como tudo é feito (não é à toa que escolhi cursar RTVI), mas mais do que isso, eu quero mesmo estar envolvida e ajudar, de alguma forma, nas partes de pré-produção, produção e pós-produção. Fiz um curso de intensivo de formação cinematográfica na minha cidade e achei tudo muito fascinante. Meu sonho é fazer parte de um grande longa-metragem.

4. Atriz
Apesar de eu ser uma pessoa tímida, eu consigo me sentir à vontade e feliz quando sei exatamente o que fazer (por isso improviso não é comigo). Eu já fiz curso de teatro, portanto quando eu ensaio muito a peça antes e decoro todas as minhas falas e sei o que fazer, me sinto tranquila para subir ao palco. Nunca atuei de fato na frente de câmeras, mas se eu ensaiasse antes, decorasse as falas e soubesse como atuar, acredito que também seria tranquilo. Amo poder viver mil personagens diferentes por um tempo.


5. Escritora
Não levo muito jeito para criar histórias tão boas quanto as que eu leio das minhas escritoras favoritas, mas acredito que isso seja apenas uma questão de treino. Na escola, meus professores sempre elogiaram minhas redações. Na faculdade, eu estou aprendendo cada vez mais a escrever roteiros de ficção e gostando muito, por isso acho que a minha área é escrever. Mas escrever mesmo um livro seria a realização de um sonho.



Bônus: Tagger
Há alguns meses a Netflix divulgou uma vaga de Tagger, o que causou um bafafá na Internet. Ser paga para assistir filmes, séries e documentários e depois adicionar tags é a profissão dos sonhos de qualquer um. Eu seria a pessoa mais feliz do mundo!


Eu estou estudando para ser radialista. Trabalhar em emissoras de rádio ou televisão, fazer parte de uma produtora audiovisual, fazer monitoramento para alguma marca. Essas são as três áreas dentro de Rádio, TV e Internet que eu mais tenho vontade de trabalhar. E não é ruim. Trabalhar em emissoras ou fazer parte de uma produtora é um pouco parecido com ser cineasta; e fazer monitoramento é parecido com ser tagger. Só espero conseguir!

E vocês, qual seria a profissão dos seus sonhos?

[Rotaroots] 10 coisas que aprendi com relacionamentos

quinta-feira, 25 de junho de 2015
Este post faz parte do Rotaroots, um grupo no facebook de blogueiros saudosistas que resgata a velha e verdadeira paixão por manter seus diários virtuais. São propostos memes e blogagens coletivas mensais, e você tem até o último dia do mês para publicar no seu blog. Não é obrigatório participar de todos. Para saber mais, conheça o grupo.

» Relacionamentos atuais, antigos, que terminaram bem, que terminaram em briga... ninguém sai de um relacionamento com a sensação de que perdeu o tempo 100%, né? Compartilha com o mundo as suas 10 principais lições.

Para esse post resolvi abranger todos os tipos de relacionamentos que tive: amorosos, de amizade, familiares, no trabalhos etc. Com todas as pessoas com quem convivo ou já convivi.

Fonte: Ana Paula Buzzo

1. AME A SI MESMO
Amor próprio não é egoísmo. Tenha amor e compaixão por você mesmo, faça o que te faz feliz, independente da opinião de qualquer coisa ou pessoa. É a sua vida que está em jogo, então não deixe ninguém decidir as coisas por você, tome as rédeas da sua própria vida. Estar bem consigo mesmo é fundamental, liberte-se daquilo que não te faz bem, pois mais ninguém vai fazer isso por você.

2. APRENDA A CEDER
Quando se está num relacionamento (seja de amor, amizade ou familiar), entenda que as coisas não giram ao seu redor. É preciso levar em consideração o outro também, é preciso haver um equilíbrio. Então não seja egoísta e obrigue que os outros façam tudo do jeito que você quer, leve em consideração a opinião de todo mundo, e juntos, decidam o que é melhor. Tenha a mente aberta para ouvir e aceitar a opinião do outro, se ele tiver argumentos melhores do que o seu, e lembre-se que ceder quando necessário é preciso.

3. NÃO MUDE O SEU JEITO DE SER POR NINGUÉM
Quem nunca tentou fingir que era alguma coisa que na verdade não é só para tentar impressionar alguém? Isso não vale a pena. A pessoa pode vir a se aproximar de você por causa daquela característica que na verdade você não tem, e mais tarde, como é que isso fica? É inevitável a pessoa descobrir mais tarde, uma hora a mentira vem à tona, ninguém consegue esconder para sempre. Portanto, seja sempre você mesmo para que desde o início a pessoa te conheça como você é.

4. OUÇA COM ATENÇÃO
É fato que hoje em dia as pessoas querem mais falar e serem ouvidas, mas nunca querem ouvir o outro. Uma pessoa conta uma coisa que aconteceu com ela, a outra pessoa além de só ouvir pela metade, ela não comenta o comentário, já vai logo falando de alguma situação parecida que aconteceu com ela. É tudo eu, eu, eu; nunca o outro. Quando você conta a uma coisa, você não quer que o outro que está ouvindo interaja? Faça perguntas, comente o que você disse, acrescente algo? Então faça isso com os outros para que também façam com você.

5. SE COLOQUE NO LUGAR DO OUTRO
Isso é uma coisa que eu procuro fazer sempre e que vejo que quase ninguém faz. Existe muito egoísmo por aí, pessoas que só pensam em si mesmas, e não levam em consideração a outra pessoa. Por exemplo, se você sabe que uma determinada pessoa é tímida e vocês estão numa rodinha de amigos, não faça piadas do tipo “olha gente, ele ficou vermelho”. É mais do que óbvio que a pessoa, por ser tímida, não quer chamar atenção para si, e que esse tipo de coisa é constrangedora para ela. Por isso, pense como o outro se sentiria antes de fazer qualquer coisa.

6. NUNCA PENSE QUE VOCÊ VAI MUDAR ALGUÉM
Assim como você não quer que venha alguém e comece a mudar a sua vida de acordo com o gosto dela, não faça também isso com os outros. É claro que se alguém tem alguns péssimos hábitos, você pode tentar conversar com ela, mas se a pessoa não quiser mudar, não é você que vai conseguir convencê-la. Cada um tem o seu jeitinho de ser e é isso que a torna única. Aceite isso.

7. APRENDA COM OS ERROS DOS OUTROS
Você não precisa aprender apenas com os seus erros, é possível aprender com os erros dos outros também. Tente entender o que a outra pessoa fez de errado para que uma determinada coisa não desse certo. Ao descobrir o problema, vá e faça diferente, de um jeito que você acha que pode dar certo.

8. PACIÊNCIA É FUNDAMENTAL
Pessoas são diferentes, com ritmos e pensamentos diferentes. Pois isso, pode ser que nem todo mundo seja rápido igual a você, ou tenha os mesmos pensamentos que você. Então, ao invés de se estressar com pensamentos e atitudes diferentes dos seus, aprenda a aceitar o estranho, o desconhecido. Quem foi que disse que o seu jeito de andar rápido é o certo e a outra pessoa que anda lentamente é errado? E se a outra pessoa estiver com dificuldades para andar ou mesmo está apreciando a paisagem? Por isso, tenha sempre paciência porque se estressar não vale a pena.

9. CADA UM PRECISA DO SEU ESPAÇO
É fundamental tanto estar junto das pessoas, quanto ficar sozinho. É aí que entra novamente o equilíbrio. Tirar um tempo para si mesmo é muito bom, fazer o que você quiser fazer, sem ter que ficar dando satisfações para ninguém. Se você preza por esses momentos, respeite os momentos dos outros também. Se a pessoa diz que quer ficar sozinha, isso não significa que ela está cansada de você, significa apenas que ela quer ficar sozinha consigo mesmo, colocar pensamentos em ordem, fazer coisas que só ela gosta de fazer.

10. SAIA DA ROTINA
Temos um péssimo hábito de cair na rotina porque ela é segura, conhecida, fácil. Experimente coisas novas, quem sabe você descubra coisas novas que acaba gostando? Faça um caminho diferente até o trabalho/escola/faculdade, sente do outro lado no ônibus, se te der vontade de fazer algo, não fique apenas na vontade, não se priva, vá e faça, seja feliz, crie boas lembranças desse jeito e boas história para contar mais tarde. Sair da rotina torna a vida muito mais feliz.

[Desafio das 52 semanas] Semana 25: Tenho aflição de...

segunda-feira, 22 de junho de 2015

1. Ficar sem Internet
Sou muito viciada em Internet. Tantas redes sociais para dar uma olhada (adoro!), tantos posts para fazer para o blog, tantos vídeos novos para assistir dos meus canais favoritos no Youtube, tantos livros, séries e músicas para baixar, tantas pesquisas que preciso fazer para trabalhos da faculdade. Eu respiro a Internet e já não consigo ficar mais sem, por isso eu começo a tremer na base quando ela está lenta ou começa a cair.



2. Gente me espremendo
Eu sou uma pessoa que preza muito pelo meu espaço, meu lema de vida é “cada um no seu quadrado”, por isso quando as pessoas começam a invadir o meu espaço, seja porque estou num lugar lotado ou porque alguma pessoa espaçosa insiste em falar comigo me tocando, já me sobe um nervosismo angustiante.


3. Machucados
Não é como se eu desmaiasse vendo sangue, mas tenho aflição da pele aberta e o sangue escapando do corpo da pessoa, não importa o tamanho da ferida. Fico aflita por causa do sangue e também da dor que a pessoa deve estar sentindo. Não sei lidar com machucados. Quando criança eu me machuquei pouquíssimas vezes, sempre tomei muito cuidado porque não suporto nenhuma dor física.


4. Coisas fora do lugar
Sou uma pessoa extremamente perfeccionista e detalhista, tenho mania de organização, não suporto ver nada fora do lugar, por isso meu quarto está sempre arrumado. Mas às vezes acontece de minhas irmãs pegarem minhas roupas emprestado, e depois de usar elas não dobram e me devolvem, elas deixam jogado de qualquer jeito na cama delas, amassado. Imagina só o sangue subindo quando vejo uma coisa dessas e a aflição que me bate.


5. Raspar a unha em superfícies ásperas
Eu e todo mundo deve ter aflição disso. Quem gosta de ouvir aquele som estridente? Não só acaba com a unha (risco de quebrar), mas também arranha a superfície e de quebra produz aquele som insuportável. Uma vez na sala de aula, minha professora estava escrevendo na lousa e o giz fez esse som sem querer, todos os trinta alunos colocaram as mãos nas orelhas de uma só vez, seria cômico se não fosse trágico, haha.

Os Segredos de Colin Bridgerton — Julia Quinn

sexta-feira, 19 de junho de 2015
Série: Os Bridgertons #4

Título original: Romancing Mr. Bridgerton
Autor: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Gênero: Histórico, Romance
Ano: 2014
Páginas: 336
ISBN: 9788580413076
Lido em: Março de 2015
Nota: 
Sinopse: Há muitos anos Penelope Featherington frequenta a casa dos Bridgertons. E há muitos anos alimenta uma paixão secreta por Colin, irmão de sua melhor amiga e um dos solteiros mais encantadores e arredios de Londres. Quando ele retorna de uma de suas longas viagens ao exterior, Penelope descobre seu maior segredo por acaso e chega à conclusão de que tudo o que pensava sobre seu objeto de desejo talvez não seja verdade. Ele, por sua vez, também tem uma surpresa: Penelope se transformou, de uma jovem sem graça ignorada por toda a alta sociedade, numa mulher dona de um senso de humor afiado e de uma beleza incomum. Ao deparar com tamanha mudança, Colin, que sempre a enxergara apenas como uma divertida companhia ocasional, começa a querer passar cada vez mais tempo a seu lado. Quando os dois trocam o primeiro beijo, ele não entende como nunca pôde ver o que sempre esteve bem à sua frente. No entanto, quando fica sabendo que ela guarda um segredo ainda maior que o seu, precisa decidir se Penelope é sua maior ameaça ou a promessa de um final feliz. Em "Os segredos de Colin Bridgerton", quarto livro da série Os Bridgertons, que já vendeu mais de 3,5 milhões de exemplares, Julia Quinn constrói uma linda história que prova que de uma longa amizade pode nascer o amor mais profundo.

Os Segredos de Colin Bridgerton é o quarto livro da série Os Bridgertons, escrito pela Julia Quinn. Dessa vez, teremos a história de Colin Bridgerton e Penelope Featherington.

Penelope sempre foi considerada o “patinho feio” pela sociedade, por ser gordinha, desajeitada e sempre usar vestidos de cores extravagantes que não a valorizavam, sempre escolhidos por sua mãe. Por causa disso, ela não costumava ser cortejada pelos cavalheiros e acabava só nos cantos dos salões de bailes. Sua vida ganha um pouco mais de alegria quando ela entra no circulo íntimo dos Bridgertons, se tornando melhor amiga de Eloise, tendo boa convivência com Violet e amando secretamente Colin. Mas agora, aos 28 anos, considerada solteirona, sua mãe desistiu que ela arrumasse um casamento, e Penelope ganhou liberdade para se vestir como quisesse, ou seja, de forma mais apropriada, e também para ser ela mesma.

Colin é conhecido por ser extremamente encantador e por levar a vida sem maiores preocupações. Costuma viajar muito para lugares longínquos e conhecer belezas nunca antes vistas antes, que ele relata em seu diário. Tudo isso numa tentativa frustrada de tentar esquecer sua preocupação de nunca ter encontrado um objetivo para sua vida, algum talento que o faça se sentir orgulhoso. E claro, ele também viaja para fugir da ladainha de sua mãe que insiste para que ele se case.

Mas apesar de viajar muito, Colin sempre conviveu muito com Penelope, a quem considera uma amiga muito especial e inteligente. E agora, ele não pôde deixar de notar no quão bem os anos fizeram à ela, e não pôde deixar de vê-la com outros olhos, surgindo aí um grande interesse seu por ela. Tudo isso para grande surpresa de Penelope, que jamais imaginou que seu grande sonho pudesse se tornar realidade, e nem também que seu maior segredo fosse ser descoberto, para seu desespero.

Em meio a tudo isso, a fofoqueira Lady Danbury anuncia um prêmio de mil libras àquele que conseguir descobrir a verdadeira identidade da misteriosa Lady Whistledown, o que vai causar um grande alvoroço na sociedade londrina.


Uma história altamente divertida, engraçada, sensual, doce e misteriosa que te faz se perguntar quem afinal é essa Lady Whistledown que se tornou bastante presente nesses quatro primeiros livros da série. Nesse livro ela é finalmente revelada. Embora eu tenha ficado feliz de finalmente ter desvendado o mistério, sentirei saudades das fofocas e comentários sarcásticos sobre a vida de todo mundo, que costumavam ser muito hilários.

Gostei bastante também do casal protagonista. Sempre gostei muito de ler histórias em que o casal já se conhece há muito tempo, mas só recentemente começam a abrir os olhos e perceber de verdade quem é aquela pessoa com quem convivem. As opiniões mudam, os pensamentos mudam, tudo muda, e para melhor! Colin e Penelope finalmente enxergam o verdadeiro eu um do outro e ficam encantados com o que descobrem. Isso é demais!

Também achei muito linda a amizade que Penelope e Eloise têm. As duas amigas sempre se apoiaram muito em tudo que precisaram e sempre ficaram felizes pelo sucesso uma da outra.


 The Bridgerton
1. The Duke and I (2000) – O Duque e Eu
2. The Viscount Who Loved Me (2000) – O Visconde Que Me Amava
3. An Offer from a Gentleman (2001) – Um Perfeito Cavalheiro
4. Romancing Mr. Bridgerton (2002) – Os Segredos de Colin Bridgerton
5. To Sir Phillip, with Love (2003) – Para Sir Phillip, com amor
6. When He Was Wicked (2004) – O Conde Enfeitiçado
7. It’s in His Kiss (2005) – Um Beijo Inesquecível
8. On the Way to the Wedding (2006) –

[+QP] Roteiro: Uma Sensação Estranha

quarta-feira, 17 de junho de 2015
O +QP (Mais Que Palavras) é um grupo no Facebook que propõe temas mensais de escrita para desenvolvermos mais nossa criatividade na hora da dissertação de textos, contos, crônicas, poesias e o que mais quisermos. É um empurrãozinho para sairmos da nossa zona de conforto e nos aventurarmos a bolar textos cada vez mais elaborados e criativos. Todo mês é selecionado um tema, mediante votação, e você tem até o último dia do mês para publicar seu texto no seu blog. Para saber mais, conheça o grupo.

» “Uma menininha tem medo do monstro debaixo da cama dela, mas o que ela não sabe é que ele está ali para protege-la dos monstros reais: seus pais.”

Foto: Annan Adored
Uma Sensação Estranha

Era tarde da noite e a chuva não cessava lá fora. Mas apesar da intensa claridade que os raios provocavam e do som alto que os trovões emitiam, não era disso que Sofia tinha medo. Ela sentia que não estava sozinha no quarto, noite após noite ela vinha tendo a sensação de que havia mais alguém naquele quarto escuro, mas essa noite foi a noite que ela passou a ter certeza.

Todas as manhãs Sofia se agachava e verificava debaixo de sua cama, e todas as manhãs ela estava sempre vazia. Mas quando anoitecei e ela já não tinha mais coragem de olhar lá embaixo, era quando a sensação ficava mais forte. Alguém ou alguma coisa vigiava seu sono. O medo por essa presença aumentava quando ela estava inquieta, mas diminuía até cessar conforme ela caía no sono.

Sofia já comentou isso com seus pais várias vezes. No início eles estavam sempre entediados, revirando os olhos para aquela “fantasia de criança”, como diziam, e se afastavam dela. Mas Sofia, cada vez mais assustada, insistia muito com os pais, até que com o tempo o tédio foi se transformando em impaciência e raiva. Chegou uma época em que eles brigaram com ela, afirmando que não tinha nada embaixo da cama dela, que era tudo fruto da cabeça dela, e que não queriam mais ser incomodados, e assim, o pai se trancava no escritório e a mãe ficava sozinha na cozinha, junto a uma garrafa de vodca.

Então, como se não bastasse ter que lidar com o monstro debaixo da cama, Sofia também tinha que se virar sozinha, sem poder contar com o apoio dos pais que não queriam ser incomodados. Aquilo passou a deixa-la com medo da fúria dos próprios pais e também muito triste. Não tinha mais a atenção deles e ficava sozinha sempre, ignorada por aqueles que deveriam cuidar dela e protege-la de monstros.

A sensação de medo se intensificou, mais do que o normal, e Sofia puxou o cobertor até a cabeça. Tremia descontroladamente e chorava. Queria gritar pelos pais, mas não o fez, pois sabia que isso só despertaria a fúria deles. Ela sentiu algo que se arrastou pelo chão e depois se ergueu, se aproximou e ficou bem perto dela. É isso, era o fim.

Um braço quente envolveu sua cintura, e ao invés de aterrorizá-la, inacreditavelmente aquilo a deixou tranquila, passou-lhe uma sensação de segurança que ela já não sentia há muito tempo. Inexplicavelmente, o medo foi deixando seu corpo, os tremores pararam e as lágrimas cessaram. O que significava aquilo? Tirou o cobertor da cabeça e virou-se.

Não enxergou nada, o quarto estava num breu intenso onde não se podia ver um palmo a sua frente, mas ela sentia que tinha algo ou alguém ali perto que a confortava. Seja o que fosse, estava levando embora seu medo e tranquilizando-a.

Uma intensa sensação de paz a inundou e Sofia não teve mais medo. Mal conseguia acreditar no que sentia, mas ela sabia que era real. Sabia que o “monstro” passaria a ser seu amigo, lhe daria conforto e isso a fez suspirar aliviada. Sofia soube então que poderia contar com ele sempre que se sentisse sozinha, recorrer a ele quando e onde precisasse. Teria sempre um amigo com quem pudesse contar, um amigo que cuidaria dela e a protegeria de seus pais.

Renata Carvalho
(14.07.2015)


Foi um desafio e tanto escrever um conto, essa não é muito a minha área e levei uns dias para pensar numa história legal. Decidi escrever sobre um casal que não estava mais feliz no seu casamento, e dessa forma acabaram negligenciando a única filha, fruto daquele casamento conturbado. A filha, sentindo-se sozinha, acabou encontrando conforto na sua imaginação, e sem saber criou um amigo imaginário para estar com ela sempre, onde e quando precisasse.

Achei a sinopse muito boa, mas acho que eu não soube desenvolver muito bem, acredito que poderia ter feito melhor, enfim, espero que mesmo assim tenham gostado! :)

[Desafio das 52 semanas] Semana 24: Casais preferidos

segunda-feira, 15 de junho de 2015

1. Harry e Gina (Harry Potter)
Sempre fui fanática pelos livros e filmes da série Harry Potter, e como tal, claro que eu tinha os meus casais favoritos, aqueles pelos quais eu torcia fervorosamente para ficarem juntos no final. Desde o primeiro livro e filme eu adorei a personagem da Gina, é uma das minhas favoritas da série, e claro que eu torcia para ela conseguir o que queria que era ficar com o Harry, então imaginem só a minha felicidade quando isso finalmente aconteceu! <3


2. Charlie e Claire (Lost)
Lost é um dos meus seriados favoritos, e o Charlie e a Claire são o meu casal favorito da série. Acho lindo a forma como o Charlie de afeiçoou à Claire, a ponto de lutar para largar as drogas. E mais do que isso, também se tornou um verdadeiro pai para o Aaron quando ele nasceu. Uma família que me fazia vomitar arco-íris, e que depois me levou às lágrimas (quem assistiu, vai entender).


3. Katniss e Peeta (Jogos Vorazes)
De jeito nenhum a trilogia Jogos Vorazes narra o relacionamento da Katniss e do Peeta nascendo de uma forma romântica e melosa, muito pelo contrário, nenhum dos dois imaginava ou acreditava que fossem depender tanto assim um do outro. A Katniss nega até o último instante que está apaixonada por ele, mas suas atitudes mostram claramente o contrário, e é demais perceber isso, algo que nem a própria personagem se deu conta.


4. Klaus e Caroline (The Vampire Diaries)
Apesar de adorar a Caroline com o Tyler, eu não esperava que fosse gostar tanto de uma terceira pessoa entrando para acabar com isso. O Klaus é aquele tipo de vilão charmoso que você não sabe se fica com raiva dele ou se morre de amores. O fato é que para a Caroline ele fazia de tudo, inclusive mostrar uma certa humanidade, coisa que ninguém esperava que ele tivesse.


5. Christian e Satine (Moulin Rouge)
Moulin Rouge é um filme que eu amo de paixão, ganhando fácil a posição de nº 1 dos meus filmes favoritos. Logo de cara o Christian e a Satine já se apaixonam um pelo outro, e acho formidável a forma como eles demonstram isso um para o outro: cantando de forma bastante intensa. Pode parecer meloso demais, mas esse casal conseguiu me conquistar de jeito e até hoje eu choro no final do filme.


Bônus: Sheldon e Amy (The Big Bang Theory)
Eu simplesmente não consegui deixar esses dois de fora da lista. Eu fico morrendo de dó da Amy que tenta com todas as forças fazer com que o Sheldon seja mais romântico no relacionamento deles. Eu não fico com raiva do Sheldon porque não é questão dele ser insensível, quem assiste vai entender, ele simplesmente não entende nada sobre relacionamentos amorosos, o que em certa medida é bem engraçado de se ver. Mas por vezes ele demonstra sim que se importa com a Amy, e nesses momentos eu costumo explodir de tanta fofura, hahaha.


[Lente Criativa] Detalhes

quinta-feira, 11 de junho de 2015
O Lente Criativa é um grupo no Facebook que visa valorizar a fotografia e criatividade, pretendendo-se criar um projeto fotográfico único com pessoas que usem seus olhares criativos para fazer fotografias originais com amor por essa ação. São propostos desafios fotográficos mensais, onde todo mês é selecionado um tema como assunto daquele mês. As fotos devem ser publicadas do dia 1 até o dia 15. Para saber mais, conheça o grupo.

» Esse é um tema, assim como os outros, bem "auto interpretativo". Valem os detalhes que pra você, possuem importância. E cada um tem seu olhar fotográfico, ou seja, cada pessoa tem um detalhe no qual as outras pessoas talvez não o enxerguem ou, quem sabe, não deem a mesma relevância. Tentem fazer disso um incentivo pra suas fotos estarem ainda mais originais, já que esse é um assunto que envolve diretamente o que você capta ao teu redor.

O tema escolhido do mês de junho é DETALHES. Apesar de eu não ter aquelas câmeras profissionais que conseguem captar detalhes minúsculos com uma qualidade ótima, eu fiz o possível com minha velha câmera compacta. Espero que gostem!






E esses são os posts participantes que mais gostei:

[Desafio das 52 semanas] Semana 23: Coisas que me incomodam no mundo contemporâneo:

segunda-feira, 8 de junho de 2015

1. Machismo
Isso é o que mais me incomoda. É tanto absurdo que eu vejo por aí que nem parece que estamos no século XIX. Homens achando que a mulher serve apenas para estar na cozinha e na cama, e pior são as mulheres que também acham isso. Pessoas que simplesmente não entendem o que significa o feminismo (acham que é o ódio aos homens ou que as mulheres vão começar a andar nuas por aí), e por isso já começam a criticar. Claro que já evoluímos muito, mas ainda não chegamos lá, a luta continua.


2. Superficialidade em relacionamentos
Relacionamentos amorosos, de amizade, familiares. Esses relacionamentos que deveriam implicar numa certa intimidade, mas não é bem assim. Vejo muitos casais por aí que estão namorando por interesse, normalmente a menina para não ficar sozinha e poder dizer que tem um namorado, e o menino pra ter alguém com quem transar sempre que quiser. Hoje em dia os relacionamentos são muito mecânicos e práticos. Raríssimos são aqueles que são verdadeiros.


3. Adultização
Meninas de 10 ou 11 anos já namorando caras mais velhos, lutando desesperadamente pra se encaixar num padrão de beleza (fazendo regimes loucos, escova progressiva, maquiagem), andando com pessoas falsas só pra poder dizer que tem as "amigas mais populares". Sei bem como é isso, passei por tudo isso com 13 e 14 anos; mas o fato é que essa cobrança toda (que nem deveria existir) está acometendo as crianças e adolescentes cada vez mais cedo. É lamentável esse encurtamento da infância.

4. Padrões de beleza
Não preciso falar mais nada, né? O pior é que isso existe desde sempre. Com o tempo o padrão vai mudando, e as pessoas lutando todos os dias para se encaixar nesse padrão. Muitas pessoas acompanham modelos nas passarelas, celebridades (atrizes e cantoras), subcelebridades (blogueiras) e a maioria delas se encaixam nesse padrão. E se essas pessoas (que são os nossos exemplos, fontes de inspiração, digamos assim), seguem esse padrão, porque nós meros mortais ficaríamos de fora? Temos que parar de viver nossas vidas tendo como exemplo pessoas que nem sabem da nossa existência. Cada um é cada um. Eu não sou determinada celebridade, então porque eu preciso ter o corpo igual ao dela?

5. Uso excessivo do celular
Minha mãe não costumava ser viciada em celular, mas depois que eu apresentei pra ela o whatsapp e sugeri que ela comprasse um celular com android (com a única finalidade de mandarmos mensagem uma pra outra sem gastar nada, ao contrário do SMS), ela acabou se viciando e hoje não sai mais do celular. Eu não sou viciada em celular, mas talvez seja porque meu celular não seja tão bom e também eu não tenho paciência pra trocar mensagem e conversar com alguém, sou uma excessão à regra. E é por isso que eu digo, vejo muita gente viciada e isso não é bom, temos que nos controlar um pouco.

[RTVI] Programação da Rádio Código

quarta-feira, 3 de junho de 2015


Minha faculdade tem uma rádio web chamada Rádio Código, no qual volta e meia os alunos de Rádio, TV e Internet (e às vezes alguns alunos de Publicidade e Propaganda) postam seus trabalhos feitos para serem ouvidos por qualquer pessoa que acessar a rádio. Trabalhos que eu digo são programas de rádio, playlists, vinhetas, chamadas, spots, dingles etc.

Cada grupo da minha turma recebeu um dia da semana para administrar 24h de programação da rádio, recebemos o Login e senha para termos acesso. Meu grupo, a produtora Cineart Produções, vamos administrar toda a programação de amanhã, quinta-feira (04/06/2015), das 00:00h até 23:59h. E hoje estou aqui para convidá-los a acessar a rádio e ouvir a programação que montamos.

Cada grupo da sala teve que antes criar um programa de 1 hora, ou dois programas de 30 minutos cada, ou dois de 15 minutos cada e um de 30 minutos.  De qualquer jeito, cada grupo cria 1 hora.

Meu grupo optou por criar dois programas de meia hora cada, são eles: Especial Rock n’ Roll e Papo Pop. Também criamos algumas playlists de 1 hora ou 30 minutos para tocarem principalmente na madrugada (quando não tem ninguém ouvindo rádio) e também algumas vezes ao longo do dia, nos intervalos de um programa e outro. Por fim, criamos algumas vinhetas que vão passar a cada três músicas das playlists e também no início e término dos programas.


Essa é a programação que montamos para o dia. Os nossos programas Especial Rock n’ Roll e Papo Pop, produzidos por nós da Cineart Produções. Tem também os programas de outros grupos da turma, como Arquivo do Rock, produzido pelo Polvo Produções; Segredos Ocultos, pelo Moveon Produções; Eternos, pelo ABP Produções.


E essas são nossas playlists, onde mostra quem fez e a duração. Vocês podem identificar na programação pelas cores.



Sinopse: O Especial do Rock n' Roll é um programa produzido pela Cineart Produções e transmitido pela Rádio Código. É um especial que volta e meia trará um estilo musical diferente para ser contada sua história, desde o seu surgimento até os dias de hoje. O especial de hoje contará toda a história do Rock, desde o seu surgimento nos anos 50, passando pelas bandas que mais se destacaram, a influência que isso causou na sociedade, um breve adendo ao rock nacional e o sucesso que ele é hoje.

Locutores: Renata Carvalho e Eduardo da Silva



Sinopse: O Papo Pop é um programa de variedades produzido pela Cineart Produções e transmitido pela Rádio Código. Comandado por Eduardo da Silva, o programa recebe convidados especiais a cada episódio, alunos da Unicsul, para serem entrevistados e para debaterem juntos sobre algum assunto atual ou nostálgico. O quadro "Pop Music" traz ainda algum cantor ou grupo musical pop de grande sucesso para ser discutido sobre o seu sucesso e a influência na vida das pessoas.

Locutor: Eduardo da Silva
Convidada: Kauana Matos



Para conhecer mais trabalhos da Cineart Produções, curta a fanpage e se inscreva no canal.

[Desafio das 52 semanas] Semana 22: Na minha geladeira, tem que ter:

segunda-feira, 1 de junho de 2015

1. Garrafinhas de água
Não costumo beber tanta água como deveria, mas também não é como se eu nunca bebesse. Por vezes vou à geladeira com sede, e pra facilitar minha vida, as garrafinhas de água já devem estar ali prontas e à minha disposição na porta da geladeira. Bem melhor do que ir até o armário, pegar um copo, encher de água no filtro, beber e depois colocar na pia para ser lavado e assim sujar uma louça. Gosto de praticidade!


2. Frutas
Sou a louca das frutas. Faço muita questão de comer pelo menos uma todos os dias, são deliciosas, não dá pra ficar sem. Ultimamente meu pai tem feito salada de frutas quase todos os dias para o almoço e isso tem sido minha perdição. Por isso, a cesta de frutas que fica em cima da geladeira deve estar sempre cheia.



3. Ketchup e maionese
Dois ingredientes essenciais na geladeira e que não pode ficar sem. Combinam com quase tudo, principalmente quando vou fritar batata-frita de noite no final de semana, ou tem lanches ou mesmo salgados. Amo demais!



4. Leite
Eu tomo bem pouco mesmo por dia, eu gosto de misturar com o café que minha mãe faz todos os dias, mas que se não tiver leite, faz uma falta tremenda porque eu não gosto de café puro. E o leite precisa estar muito gelado para equilibrar com o café muito quente.



5. Tomate
Almoço que é almoço precisa ter salada de tomate, faço questão, por isso não dá pra faltar na geladeira. Por vezes acompanhado de alface ou repolho também fica muito bom. A refeição já fica visivelmente melhor e mais saborosa.

Theme Base por Erica Pires © 2013 | Livro de Memórias, por Renata Carvalho | Blog no ar desde 03.05.2013 | Versão 2.2 no ar desde 01.01.2014 | Topo