[RTVI] Programa de TV: Aqui Acontece

sexta-feira, 29 de maio de 2015

No segundo semestre de 2014, quando eu estava no meu 4º semestre da faculdade de Rádio, TV e Internet, o trabalho do semestre consistia na criação, produção, gravação e edição de um programa de televisão, com duração de 30 minutos. Entrei para um grupo de 11 pessoas, nossa produtora se chamava Olho Seco Produções, e juntos criamos o programa Aqui Acontece.

Para quem não sabe, todo semestre os professores propõe um trabalho grande para ser feito e apresentado, valendo 30% da nossa nota em todas as matérias. Então todo semestre os alunos precisam se juntar em grupos para fazer esses trabalhos. E esses grupos são na verdade chamados de “produtoras” para quem cursa Rádio, TV e Internet. Em Publicidade e Propaganda, por exemplo, os grupos são chamados de “agências”.


Então, são um total de 30 minutos de programação, contando com o programa e os comerciais. 30 minutos tem dois comerciais de 3 minutos cada, totalizando 6 minutos de intervalo comercial e sobrando 24 minutos de programa, portanto, como nosso trabalho não é fazer comerciais, tivemos que criar apenas o programa com duração total de 24 minutos. Esses 24 minutos são divididos em três blocos de 8 minutos cada, ficando assim:

- Bloco 1 (8 minutos)
- Intervalo (3 minutos)
- Bloco 2 (8 minutos)
- Intervalo (3 minutos)
- Bloco 3 (8 minutos)


O programa Aqui Acontece consiste num programa jornalístico semanal que aborda boas notícias. Vocês devem conhecer vários programas que só sabem falar de tragédias que acontecem no Brasil e no mundo. Já o nosso programa fala apenas de coisas boas que aconteceram no Brasil e no mundo. É comandado por uma apresentadora que a cada programa recebe dois convidados diferentes para juntos debaterem sobre essas notícias.

Deu muito trabalho mesmo fazer tudo isso num curto período, mas conseguimos e nos orgulhamos muito do resultado final. Dentre as coisas que eu fiz, eu que desenhei todo o cenário do programa, passando por várias alterações, tanto dos colegas do grupo quanto da professora de cenário, até chegar no resultado final; ajudei a pintar as paredes e o chão; envernizei e encaixei os paletes uns nos outros para formar o palco; emprestei a televisão e as duas poltronas dos convidados para as gravações; fui assistente de estúdio no dia da gravação; ajudei na hora da edição.


Todo final de ano, minha faculdade premia os melhores trabalhos feitos daquele ano, e o Aqui Acontece ganhou como o melhor programa de TV de 2014. Feliz demais!

  • SINOPSE: Programa que traz as melhores e boas notícias do mundo. O Aqui Acontece conta com quadros e convidados no estúdio. Sua linguagem é dinâmica e pretende não seguir roteiros lineares, convidando o público a participar através de enquetes e comentários nas redes sociais.


BLOCO 1:


BLOCO 2:


BLOCO 3:


Não deixem de reparar no meu nome, Renata Carvalho, nos créditos, na parte de Assistente de Estúdio e Cenografia, hehe. E a apresentadora se chama Taisa Pelosi, ela é atriz profissional e irmã de uma das integrantes do nosso grupo, por isso topou nos ajudar com esse trabalho. Já os convidados são Arthur Sinnhofer e Júnior Silva, conhecidos de alguns integrantes do grupo.
Para conhecer mais trabalhos da Olho Seco Produções, curta a fanpage e se inscreva no canal.


Teatro: O Homem de La Mancha

quarta-feira, 27 de maio de 2015

Foi em dezembro de 2014 que meu pai me levou mais uma vez ao teatro do Sesi-SP para assistirmos mais um sucesso do Miguel Falabella que estava dando o que falar. Eu já tinha assistido A Madrinha Embriagada, também dirigido por ele, e por isso eu sabia que só podia se tratar de coisa boa.

Foi quando conheci a peça O Homem de La Mancha, um espetáculo absurdamente maravilhoso, encantador, engraçado, emocionante e que te deixa de queijo caído com tamanha produção e com tanto talento, tanto dos atores quanto da orquestra ao vivo. Gostei tanto que assisti mais outras duas vezes, uma em janeiro e outra em maio de 2015. E seria capaz de assistir mais outras vezes ainda porque nunca me canso. Já falei dessa peça e recomendei para vários conhecidos meus. Para saber mais, leia a sinopse no final desse post.

Então claro que recomendo. Não percam a oportunidade de prestigiar essa peça tão grandiosa capaz de encantar qualquer um, e aproveite que é totalmente grátis, tem coisa melhor? E fica bem em frente à estação Trianon-Masp (linha 2, verde, metrô), não tem como se perder. A peça tem sido um sucesso de público e os ingressos são bem concorridos, então seja rápido quando for reservar o seu pelo site.


Esse musical foi inspirado na obra Don Quixote, escrito por Miguel de Cervantes (1547 - 1616), que imagino que muita gente já deve ter ouvido falar, mas não conheça totalmente, assim como eu. Essa peça foi apresentada pela primeira vez na Broadway, em 1965. Ela chegou ao Brasil pela primeira vez em 1972, sob a direção de Flávio Rangel. E 42 anos depois, em 2014, Miguel Falabella oferece a segunda temporada brasileira do espetáculo.

O elenco é formado por 35 atores e a orquestra por 16 músicos. Nos papéis principais, temos Cleto Baccic como Miguel de Cervantes, Jorge Maya como Sancho, Sara Sarres como Dulcinéia e Guilherme Sant’Anna como o Governador.


"Eu sou eu Don Quixote, Senhor de La Mancha, e o meu destino é o tal
Pois quem não se aventura, com fé e ternura, o mundo não pode mudar
Não pode o mundo mudar, queiram se aventurar!"


Em uma das sessões que fui, consegui me encontrar com o ator Frederico Reuter, que na peça interpreta o Dr. Sansão Carrasco e também o Senhor dos Espelhos. E eu também já tinha visto ele interpretar o personagem Roberto, na peça A Madrinha Embriagada e fiquei encantada com o número de sapateado dele. Então claro que eu, minha mãe e minhas irmãs não deixamos passar a oportunidade de tirar uma foto com ele, hahaha.


SINOPSE:
Um paciente é anunciado para internação. Apresenta-se como Miguel de Cervantes, poeta, ator de teatro e coletor de impostos que chega acompanhado por seu criado, Sancho.
Ele é abordado pelo Governador louco, que comanda os internos do hospital. O grupo ataca seus pertences e lhe subtraem suas poucas posses. Cervantes de preocupa apenas com um manuscrito, que é arremessado entre eles. Para dar a Cervantes a oportunidade de reaver seu manuscrito, o Governador instala um julgamento. O Duque faz a acusação. Cervantes organiza sua defesa convidando os loucos a encenarem com ele uma peça de teatro.
É a história de D. Alonso Quijana, um velho fazendeiro aposentado, ávido leitor, desgostoso com os maus-tratos dos homens para com seus semelhantes. Melancólico com as injustiças do mundo e tomado pela loucura, imagina ser D. Quixote Senhor de La Mancha, um Cavaleiro Errante, atrás de aventuras que lhe permitam combater o mal, assistir os indefesos e praticar o bem.

Direção: Miguel Falabella
Data: De 13 de setembro de 2014 até 28 de junho de 2015
Duração: 1h45
Classificação: 10 – Não recomendado para menores de 10 anos
Gênero: Comédia, Musical
Dias e Horários: Quarta, quinta e sexta, às 21h. Sábado, às 17h e 21h. Domingo, às 19h.
Local: Teatro do Sesi-SP – Avenida Paulista 1313, Cerqueira Cézar, zona Oeste, São Paulo
Telefone: (11) 3146-7405
Preço: Grátis
Reservas pelo site: www.sesisp.org.br/meu-sesi

[Desafio das 52 semanas] Semana 21: Meus piores defeitos:

segunda-feira, 25 de maio de 2015
1. Antissocial
Engraçado como as coisas mudam. Quando eu era criança, vivia ansiando pela companhia das pessoas para não ter que ficar sozinha. Hoje em dia, o que eu mais amo na vida é ficar sozinha, ser deixada em paz, quieta no meu canto. Pra mim é um pesadelo conversar com as pessoas, eu nunca sei o que dizer, sou sem graça, começo a gaguejar e não sei lidar com ninguém. Por isso, entre uma festa ou ficar sozinha no meu quarto, claro que vou optar por ficar no meu quarto.


2. Ansiosa
Eu sou uma pessoa muito ansiosa, não consigo relaxar, não fico calma e isso me estressa. Não consigo tolerar atrasos, falta de disciplina, trabalhos mal feitos, quando as coisas são feitas de qualquer jeito. Pra mim tudo tem que ser pontual e bem feito. Some-se a isso o fato de eu ser perfeccionista e detalhista, daí acabo me tornando alguém que se cobra muito e também uma chata que cobra os outros.



3. Distração
Eu sou 8 ou 80. Tem vezes que estou muito ligada ao mundo ao meu redor, mas por outro lado, tem também vezes em que me distraio com incrível facilidade, principalmente quando estou entediada, sem nada pra fazer, ou estou em ambientes chatos. Minha mente começa a divagar.


4. Lerdeza
Não sou exatamente a pessoa mais inteligente do mundo, mas também não chego a ser burra. Eu não sei, talvez eu tenha déficit de atenção. O fato é que eu demoro pra entender o que as pessoas estão tentando me dizer, e só depois de repetirem várias vezes, usando uma linguagem fácil, é que eu consigo captar a mensagem. E se me mandarem pensar rápido então? Daí que minha mente trava, dá um branco total e eu não consigo dizer nada. Definitivamente eu não funciono sob pressão.



5. Não sei dizer não
Tem a ver com o fato de eu ser uma pessoa muito insegura (coisa de libriana mesmo). Eu não gosto nem um pouco de ver as pessoas ficando bravas ou chateadas comigo quando digo “não”, eu não sei lidar com isso, é por isso que muitas vezes eu acabo falando “sim”, para agradar as pessoas, em troca de ME desagradar. Preciso melhorar isso em mim.

[+QP] Tempo para si

quarta-feira, 20 de maio de 2015
O +QP (Mais Que Palavras) é um grupo no Facebook que propõe temas mensais de escrita para desenvolvermos mais nossa criatividade na hora da dissertação de textos, contos, crônicas, poesias e o que mais quisermos. É um empurrãozinho para sairmos da nossa zona de conforto e nos aventurarmos a bolar textos cada vez mais elaborados e criativos. Todo mês é selecionado um tema, mediante votação, e você tem até o último dia do mês para publicar seu texto no seu blog. Para saber mais, conheça o grupo.

fonte

TEMPO PARA SI

Se tem uma coisa que eu faço questão é de arrumar um tempo pra mim mesma, sempre foi assim e sempre será. Mal consigo suportar a ideia de viver pelo trabalho, viver pelos estudos, viver pelo dinheiro, viver pela família, viver pelos outros, mas nunca pra mim mesma.

Sou uma pessoa muito calma e tranquila, não muito fã de agitação. Portanto, depois de um dia corrido e cansativo, quando me sobra um tempinho livre, eu não fico preenchendo-o com tantas outras coisas que posso fazer, mas tiro aquele momento para mim mesma, para relaxar, desestressar, colocar os pensamentos em ordem, descansar, fazer o que eu gosto (ler um livro, por exemplo), me sentir bem e ficar em paz.

É claro que “tempo para si” é algo muito relativo. Não significa necessariamente ficar parado em um canto, descansando. Muita gente não gosta de ficar parado, precisa estar sempre em movimento e se sente bem assim. Minha mãe mesmo é um exemplo disso. Nos seus momentos de folga, ela gosta de sair para baladas para dançar com as amigas. Aquele é um momento dela onde ela se sente bem e feliz.

É por isso que eu não julgo a maneira como as pessoas resolvem tirar um “tempo para si”. Cada um é cada um, e isso não se discute. O que importa mesmo é a pessoa fazer especificamente aquilo que a faz feliz, ter aquele momento dela.

Renata Carvalho
(19.05.2015)


[Desafio das 52 semanas] Semana 20: Fico de mau humor quando…

segunda-feira, 18 de maio de 2015

1. Acordo atrasada e saio sem comer nada
É triste quando o despertador não toca por algum motivo, eu acabo acordando de súbito, olho as horas e descubro que estou atrasada para algum compromisso importante. Preciso levantar rápido, me arrumar correndo e sair de casa com fome e sem tempo de comer qualquer coisa. Gosto de me planejar, me programar para meus compromissos, para fazer tudo com calma. Mas se o despertador não cumpre com a função dele e isso atrapalha o resto do meu dia, daí não tem como não ficar de mau humor.


2. As pessoas se atrasam
Como eu disse, eu me programo para meus compromissos. No caso, SEMPRE chego na hora combinada, muitas vezes até bem mais cedo, eu tenho essa preocupação. Agora, me deixa de mau humor pessoas mal educadas que não estão nem aí, chegam na hora que bem quiserem para o compromisso que marcamos e não ligam se você está esperando há muito tempo. Não tem como não ficar com raiva.


3. Preciso acordar cedo no frio e chovendo
Como se já não fosse chato o suficiente ter que acordar cedo, a coisa fica mil vezes pior quando está frio e chovendo. É triste ter que abandonar a cama quentinha. Esse é um dos motivos porque detesto tanto o frio.

4. Não me devolvem o que eu emprestei
Normalmente eu não ligaria de emprestar minhas coisas, pelo contrário, eu seria capaz de emprestar com o maior prazer um livro que gosto muito e recomendo, uma roupa que vai ficar bem na pessoa. O problema é que as pessoas são mal educadas e não tem um pingo de respeito pelas suas coisas. Demoram demais pra devolver o livro ou largam minhas roupas jogadas e amassadas em qualquer canto. Como pode? Eu tomo TANTO cuidado com as coisas dos outros. É por esse motivo que sempre reluto tanto em emprestar qualquer coisa.


5. Alguém come algo que era meu
Uma vez, saindo do trabalho e a caminho de casa, eu pensava o tempo todo no pavê de chocolate que eu havia feito e iria comer assim que chegasse em casa. Vim salivando o caminho inteiro. Quando chego em casa, descubro que alguém da minha família comeu aquilo que sabiam perfeitamente que era meu. Que raiva que deu nessa hora, mau humor na certa. Se você sabe que determinada comida tem dono, não seja idiota e coma, oras! Respeite!



Conclusão: Com sono, fome, frio e atrasos não se brinca, haha!

Um Perfeito Cavalheiro — Julia Quinn

quarta-feira, 13 de maio de 2015
Série: Os Bridgertons #3

Título original: An Offer from a Gentleman
Autor: Julia Quinn
Editora: Arqueiro
Gênero: Histórico, Romance
Ano: 2014
Páginas: 304
ISBN: 9788580412383
Lido em: Março de 2015
Nota: 
Sinopse: Sophie sempre quis ir a um evento da sociedade londrina. Mas esse é um sonho impossível. Apesar de ser filha de um conde, é fruto de uma relação ilegítima e foi relegada ao papel de criada pela madrasta assim que o pai morreu. Uma noite, ela consegue entrar às escondidas no baile de máscaras de Lady Bridgerton. Lá, conhece o charmoso Benedict, filho da anfitriã, e se sente parte da realeza. No mesmo instante, uma faísca se acende entre eles. Infelizmente, o encantamento tem hora para acabar. À meia-noite, Sophie tem que sair correndo da festa e não revela sua identidade a Benedict. No dia seguinte, enquanto ele procura sua dama misteriosa por toda a cidade, Sophie é expulsa de casa pela madrasta e precisa deixar Londres. O destino faz com que os dois só se reencontrem três anos depois, Benedict a salva das garras de um bêbado violento, mas, para decepção de Sophie, não a reconhece nos trajes de criada. No entanto, logo se apaixona por ela de novo. Como é inaceitável que um homem de sua posição se case com uma serviçal, ele lhe propõe que seja sua amante, o que para Sophie é inconcebível. Agora os dois precisarão lutar contra o que sentem um pelo outro ou reconsiderar as próprias crenças para terem a chance de viver um amor de conto de fadas. Nesta deliciosa releitura de Cinderela, Julia Quinn comprova mais uma vez seu talento como escritora romântica.

Um Perfeito Cavalheiro é o terceiro livro da série Os Bridgertons, escrito pela Julia Quinn. Demorei demais para dar continuidade à leitura dessa série porque acabei passando por uma fase chata de desânimo com a leitura em geral, mas um belo dia, assim do nada, voltei a me interessar por romances históricos e cá estou eu de novo para continuar acompanhando essa série que eu tanto gosto.

O livro em questão vai contar a história de Benedict Bridgerton e Sophie Beckett.

Sophie é a filha bastarda do Conde de Penwood que a criou em sua casa, mas nunca a reconheceu como sua filha. Ele se casa com uma mulher chamada Araminta Reiling que já tinha duas filhas chamadas Rosamund e Posy, ambas da mesma idade de Sophie. Todas maltratam Sophie, que vê seus sonhos de todos se tornarem uma grande família feliz murcharem.

O Conde acaba por falecer, deixando Sophie aos cuidados de Araminta que não pode se livrar dela por causa do dinheiro que recebe por abriga-la, segundo o testamente deixado pelo conde, mas também vai passar a trata-la como uma verdadeira criada, obrigando-a a limpar, cozinhar, polir e fazer todas as vontades das três mulheres.

Anos mais tarde, quando Sophie e suas irmãs adotivas já estão com 21 anos, é anunciado um grande baile de máscaras na residência dos Bridgertons, um evento bastante aguardado. Araminta vai com suas filhas, mas proíbe Sophie de ir também. No entanto, Sophie é ajudada pelas outras criadas da casa a se arrumar e a ir ao baile escondida.

É nesse baile que Sophie e Benedict se conhecem e instantaneamente se sentem atraídos um pelo outro, passando a noite inteira juntos. Apesar das máscaras que usam, Sophie diz a ele que sabe quem ele é, no entanto ela não revela sua identidade, e meia-noite ela é obrigada a deixa-lo e vai embora, antes que Araminta volte para casa e note sua falta.

Muito tempo se passa depois desse acontecimento. Benedict procurou por ela em toda parte sem resultados, até que foi obrigado a aceitar que nunca mais a veria de novo, mas sem jamais esquecê-la. Sophie foi expulsa de casa e obrigada a viver como criada na casa de algumas pessoas.

Um dia, o filho do dono da casa em que Sophie trabalha resolve dar uma festa quando os pais não estão. Ela é quase maltratada por esse homem e seus amigos bêbados, quando ninguém menos que Benedict, que estava na festa, a salva. Benedict a leva consigo para sua casa de campo, tendo se encantado com ela e por não querer vê-la sozinha e desamparada, mas não a reconhece como a dama mascarada.

Sophie se sente frustrada e triste por ele não reconhece-la, mas aceita sua ajuda por não ter pra onde ir. Na casa, ele fica com febre e Sophie cuida dele a noite inteira. A partir daí Benedict está disposto a não deixa-la mais partir, tendo se encantado com ela, ele propõe que ela seja sua amante, já que é evidente o desejo que sentem um pelo outro. Sophie não aceita, afinal isso não é o suficiente pra ela, mas aceita a proposta de trabalhar como criada na casa da mãe dele.

Com Sophie trabalhando lá, Benedict começa a fazer visitas mais frequentes à casa apenas para vê-la, o que vai deixar sua mãe confusa já que ele costumava aparecer bem raramente. Tendo-a perto de si, Benedict não vai descansar até convencê-la a ser sua amante. Já Sophie está disposta a resistir o quanto for possível aos encantos dele, mas logo vai descobrir que não será tão fácil assim.


Essa história foi claramente inspirada na história da Cinderela: a moça cujos pais morreram e é criada pela madrasta e as duas irmãs más, que a tratam como uma criada e a obrigam a limpar a casa toda, sem descanso, se quiser continuar morando ali. Com direito ainda a um baile onde o casal se conhece e se apaixona, seguido pela fuga da moça à meia-noite.

Mas tudo isso só no começo do livro, porque depois abre-se para uma história totalmente nova, bem no estilo “Julia Quinn”, afinal Sophie acaba por ser expulsa de casa e obrigada a se virar, trabalhando como criada na casa dos outros, encontrando o mocinho por acaso, aceitando trabalhar na casa da mãe dele, mas tendo que rejeitar a proposta dele de ser sua amante.

Gostei demais dessa história, acontecem muitas coisas ao longo do livro, portanto não dá pra dizer que é uma história parada. Eu só preciso discordar do título do livro, afinal Benedict não foi tão cavalheiro assim, quando fez a proposta indecorosa para Sophie ser sua amante, e não quis aceitar um “não” como resposta.


♦ The Bridgerton
1. The Duke and I (2000) – O Duque e Eu
2. The Viscount Who Loved Me (2000) – O Visconde Que Me Amava
3. An Offer from a Gentleman (2001) – Um Perfeito Cavalheiro
4. Romancing Mr. Bridgerton (2002) – Os Segredos de Colin Bridgerton
5. To Sir Phillip, with Love (2003) – Para Sir Phillip, com amor
6. When He Was Wicked (2004) – O Conde Enfeitiçado
7. It’s in His Kiss (2005) – Um Beijo Inesquecível
8. On the Way to the Wedding (2006) –


[Desafio das 52 semanas] Semana 19: Meus seriados preferidos:

segunda-feira, 11 de maio de 2015

1. Lost
Me lembro de quando meus pais me falaram, em 2004, de uma série que estava dando o que falar, então começamos a assistir para conhecer. Na mesma hora todo mundo aqui em casa viciou e passamos a assistir ansiosamente um episódio atrás do outro. Era demais, intenso, e eu sempre terminava um episódio chocada com o que aconteceu. A melhor série do mundo, recomendo!


2. Game of Thrones
Essa série já estava na quarta temporada quando comecei a acompanhar e logo depois de assistir ao primeiro episódio eu me dei um chute por não ter conhecido antes. Já se tornou uma das melhores séries da minha vida e acompanho fervorosamente. Também estou lendo os livros.


3. Friends
Não tinha como essa série não estar na lista. Eu realmente não acompanhei durante os dez anos que ela durou, mas mais tarde eu comecei a ver as reprises e adorado, decidi então assistir do começo e amei. Por mim, assistiria tudo de novo, se não fosse tantas outras séries que estou acompanhando no momento.


4. Anos Incríveis
Essa é uma série antiga que passava na TV Cultura e que eu assistia ocasionalmente com meu pai e irmãs. É muito fofo e nostálgico. Mais tarde eu assisti na íntegra e adorei, é muito bom acompanhar o crescimento dos personagens, tudo tão doce e inocente, a descoberta do primeiro amor, enfrentando os valentões da escola, amizades, aprendendo a dirigir, arrumando o primeiro personagem, e por aí vai.


5. The Big Bang Theory
Outra série que comecei a assistir as reprises na TV, até o dia que resolvi baixar e assistir desde o começo, na íntegra. É muito engraçado acompanhar quatro nerds que entendem tudo de ciência, mas absolutamente nada de mulheres, por isso eles não sabem como lidar com a nova vizinha do apartamento ao lado que é um enigma pra eles tanto quando eles são pra ela.

[Lente Criativa] Céu

quarta-feira, 6 de maio de 2015
O Lente Criativa é um grupo no Facebook que visa valorizar a fotografia e criatividade, pretendendo-se criar um projeto fotográfico único com pessoas que usem seus olhares criativos para fazer fotografias originais com amor por essa ação. São propostos desafios fotográficos mensais, onde todo mês é selecionado um tema como assunto daquele mês. As fotos devem ser publicadas do dia 1 até o dia 15. Para saber mais, conheça o grupo.

» “s.m. Espaço infinito no qual se movem os astros. {...} Região superior, tida como morada da divindade e dos bem-aventurados: ir para o céu; subir aos céus. {...} A divindade, ela mesma: o céu é testemunha. O ar, a atmosfera: céu limpo. A céu aberto, a descoberto; ao ar livre.” – DICIO. Significado de Céu.

O tema escolhido do mês de maio é CÉU. Achei bem legal esse tema, afinal o céu é algo que gosto muito de fotografar. O céu é tão “fotogênico”, hahaha, afinal não importa se está azul claro ou cinzento, ele continua lindo de qualquer jeito. Como podem publicar de 1 à 10 fotos, escolhi dessa vez não me privar e publicar dez fotos de uma vez!











Atualizarei esse post conforme forem saindo mais fotos lindas (e também se alguém me indicar), mas por enquanto, não deixem de conferir essas que eu amei:



[Desafio das 52 semanas] Semana 18: Sinto saudades…

segunda-feira, 4 de maio de 2015
1. ...de acordar cedo para assistir desenhos.
Que época boa essa! Eu acabava acordando cedo por falta de sono mesmo, pegava meu cobertor e ia para a sala assistir os desenhos do Bom Dia & Cia. Ficava lá muito tempo até meus pais acordarem e prepararem o café da manhã. O chato era de domingo de manhã quando não passava desenho em nenhum canal, então eu era obrigada a assistir Siga Bem Caminhoneiro ou um sobre pesca, hahaha. Complicado quando ainda não tinha TV fechada.



2. ...da minha cadela Pig e da minha gata Linda.
Foi o primeiro (e único) cachorro que tive na vida e também meu primeiro gato. Eram fêmeas e muito comportadas, não davam um pingo de trabalho, sempre obedeciam. Eram duas fofas, ficavam extremamente felizes quando eu chegava em casa depois da escola. Nunca me esqueci delas, que saudades!


3. ...de fazer teatro.
No ensino médio eu entrei para o grupo de teatro da escola, e depois que me formei eu comecei um curso profissionalizante de teatro durante dois anos e meio. Não pude concluir esse curso, mas quero muito poder voltar algum dia e terminar, mas continuar atuando por hobby mesmo. Amo teatro e atuar é uma das minhas maiores paixões. Acho muito divertido, libertador, dinâmico e realizador. Sem contar que o companheirismo que você constrói com seus colegas é demais.


4. ...de brincar e ser criança.
Minha infância foi muito boa. Meus avós tinham um terreno grande onde todos os filhos construíram uma casa quando casaram, inclusive minha mãe. Portanto eu cresci nesse terreno brincando com todos os primos e primas: andando de bicicleta, subindo em árvores para colher manga e amora, fazendo comidinhas de terra e folhas, brincadeiras clássicas como pega-pega e pique-esconde. Enfim, saudades.


5. ...de um livro ou filme novo de Harry Potter sendo lançado.
Se tem uma coisa que me fazia extremamente feliz durante minha adolescência era o lançamento de um livro ou filme novo de Harry Potter. Quando ganhava um livro novo dos meus pais, eu pulava de alegria e não largava mais durante várias horas até terminar de ler. Já o lançamento de um filme novo, eu adorava assistir com outros fãs da série na sala de cinema, no qual todo mundo aplaudia em uma cena legal, inclusive eu, hahaha. <3

Theme Base por Erica Pires © 2013 | Livro de Memórias, por Renata Carvalho | Blog no ar desde 03.05.2013 | Versão 2.2 no ar desde 01.01.2014 | Topo