[Rotaroots] Carta para o meu eu do futuro

quarta-feira, 29 de abril de 2015
Este post faz parte do Rotaroots, um grupo no facebook de blogueiros saudosistas que resgata a velha e verdadeira paixão por manter seus diários virtuais. São propostos memes e blogagens coletivas mensais, e você tem até o último dia do mês para publicar no seu blog. Não é obrigatório participar de todos. Para saber mais, conheça o grupo.

» Depois de 1 ano da nossa carta “para o meu eu do passado”, propomos a brincadeira ao contrário: o que nós diríamos para os nossos respectivos """"""""""eus"""""""""" daqui 10 anos?

Depois de ter escrito Uma carta para o meu eu de 10 anos atrás (que eu considero um dos meus melhores posts do blog), resolvi participar da blogagem coletiva do Rotaroots que propõe uma carta para o meu eu de 10 anos no futuro. Acho que vai ser uma desafio maior ainda, mas que topei participar. Gosto de me imaginar mais velha relendo essas linhas e percebendo o que mudou e o que permanece o mesmo.

Como hoje tenho 24 anos, minha carta vai para o meu eu de 34 anos.


Oi Rê, tudo bem?

É estranho estar te escrevendo essa carta, para uma total desconhecida, não sei bem o que dizer. Sei das coisas que eu já vivi, mas as que ainda não vivi, só posso imaginar.

Com 34 anos, eu me imagino morando sozinha num apartamento ou quitinete próprio. Ele seria decorado ao meu gosto minimalista, do jeitinho que eu gosto. Faço questão de ter um home office com as paredes ao meu redor rodeadas de estantes com meus livros favoritos. Eu também adotaria dois gatos que estivessem precisando urgente de um lar, eles se tornariam meus maiores amores.

Também espero estar trabalhando na minha área, com rádio , televisão ou Internet, aprendendo muito e sendo muito feliz. Ganhando um salário bom que me permita ter uma vida confortável. E torço para você já ter tirado sua carta de motorista e já ter perdido o medo de dirigir, além também de já estar com o carro próprio. É isso o que eu espero.

Também torço que você já tenha feito ou pelo menos tenha planos de começar a fazer mais duas graduações, uma de cinema e outra de biblioteconomia. Você continua querendo essas coisas? Já mudou os planos? São com essas coisas que eu sonho hoje, mas sei lá, você pode ter mudado de ideia, não sei.

Mas no geral, eu tento evitar ao máximo ficar pensando em coisas que eu quero ou preciso fazer até determinada idade. Não gosto de me colocar esse tipo de pressão. Gosto mais de deixar as coisas acontecerem e ver no que vai dar, mas claro, também tomando as rédeas da minha própria vida.

É assustador pensar em mim mesma com 34 anos. Na verdade, é assustador pensar em mim mesma no dia de amanhã. Mas eu só espero que tudo dê certo e eu seja feliz, de alguma forma.

Eu não te imagino nem um pouco casada e com filhos, mas também não descarto a possibilidade. Quem sabe a vida não nos surpreende? E espero que você esteja menos tímida e mais aberta a deixar as pessoas entrar na sua vida, a fazer novas amizades, a ter novos relacionamentos amorosos, a ter mais coragem de encarar a vida. Isso vai te fazer bem.

Desculpe estar colocando tantas expectativas em cima de você, não tem relação exatamente com você de 34 anos, mas sim o meu futuro, ou seja, não importa nem um pouco a idade para todas essas coisas que queremos tanto acontecer.

Ah, e espero que você continue tendo esse blog, não só com 34 anos, mas para sempre. Não desista dele nunca e não ligue se acaso as pessoas começarem a comentar que isso é coisa de adolescente. Pessoas não sabem de nada, a não ser julgar desenfreadamente. Se blogar ainda te fizer feliz, então continue.

P.S.: Eu sei que você, ao ler essa carta, vai querer se lembrar como era a minha vida aos 24 anos, então seguem umas informações:
– Moro com meus pais e irmãs no apartamento do Cecap. – Estou no 5º semestre da faculdade de Rádio, TV e Internet. – Não sei dirigir e tenho medo disso, mas vontade de aprender. – Não trabalho no momento, mas estou procurando um estágio na minha área. – Ainda sou muito tímida e tenho medo de encarar o mundo e as pessoas. – Amo de paixão ler (vou quase todos os sábados na Livraria Cultura do Conjunto Nacional). – Também amo muito assistir filmes e séries. – Tenho dois gatos, a Lylú e o Garu. – Tenho os melhores amigos do mundo: Jessyka, Mariza, Guilherme, Giorgio e Isabella.

Enfim, depois faça um post no blog contando o que mudou e o que permanece o mesmo, dos meus sonhos aos 24 anos e da minha realidade aos 34 anos.

Um beijão,

Renata

[Desafio das 52 semanas] Semana 17: Personagens cuja vida eu gostaria de viver por um dia:

segunda-feira, 27 de abril de 2015

1. Gina Weasley (Harry Potter)
Enquanto muita gente deseja viver a vida da Hermione, eu queria muito ser a Gina, mas a Gina dos livros, não dos filmes, claro; as duas são muito diferentes. Ela é uma personagem muito foda: é uma bruxa, estuda em Hogwarts, é linda, talentosa, esperta, corajosa, ajuda os amigos, pertence a uma família linda e principalmente namora o Harry <3


2. Elizabeth Bennet (Orgulho e Preconceito)
Eu não li o livro (ainda), só conheço a Lizzie através do filme de 2005. Mas pelo que eu pude ver, ela é uma personagem nem um pouco cabeça oca, como suas irmãs e as outras donzelas da sociedade da época. Ela tem caráter, é destemida, inteligente, sabe o que quer, adora ler livros, defende sua família com unhas e dentes, e claro, se envolve com o Sr. Darcy que é tudo de bom!


3. Ariel (A Pequena Sereia)
Quem nunca? Quando eu era criança, sonhava inúmeras vezes em ser uma sereia como a Ariel, respirar debaixo d’água, nadar muito rápido e conhecer as maravilhas das profundezas dos oceanos, se divertir com os outros peixes e principalmente ter a sensação de liberdade, que penso eu que deve ser como voar.


4. Anna Oliphant (Anna e o Beijo Francês)
Quem leu esse livro da Stephanie Perkins vai entender o porquê eu queria muito ser a Anna. No começo ela se sente insegura por ser deixada sozinha numa cidade nova, mas logo depois ela faz amigos muito divertidos, conhece a maravilha que é Paris e ainda se apaixona pelo St. Clair que é um fofo ao extremo com ela. Aiai... <3


5. Caroline Forbes (The Vampire Diaries)
Talvez hoje nem tanto, mas pelo menos nas primeiras temporadas eu era mega fã da Caroline. Ela é muito divertida, engraçada, palhaça, popular, linda, se preocupa com os amigos. Acho que a minha personagem favorita da série inteira. E claro, ela tinha os lindões do Tyler e do Klaus brigando por ela; eu não sabia pra quem torcia, hahaha.

[+QP] Medo

quarta-feira, 22 de abril de 2015
O +QP (Mais Que Palavras) é um grupo no Facebook que propõe temas mensais de escrita para desenvolvermos mais nossa criatividade na hora da dissertação de textos, contos, crônicas, poesias e o que mais quisermos. É um empurrãozinho para sairmos da nossa zona de conforto e nos aventurarmos a bolar textos cada vez mais elaborados e criativos. Todo mês é selecionado um tema, mediante votação, e você tem até o último dia do mês para publicar seu texto no seu blog. Para saber mais, conheça o grupo.

FONTE

MEDO

Não existe uma única pessoa em todo o mundo que já não tenha sentido medo alguma vez na vida, é um sentimento tão natural quanto qualquer outro que está aí como uma dificuldade, uma barreira, um desafio a ser superado. Mas hoje não estou aqui para falar do medo dos outros ou mesmo do medo como um sentimento, mas sim dos meus medos.

A vida inteira tive medo e isso permanece comigo até hoje. Não sou a pessoa mais corajosa do mundo, bem longe disso, e o medo é uma coisa que tenho grande dificuldade em transpor. Some-se a isso o fato de eu ser uma pessoa tímida, e a coisa já fica bem difícil para o meu lado.

A verdade é que eu sempre tive, ainda tenho e acho que sempre terei medo de viver. Tenho medo do mundo e das pessoas. Me preocupo com a reação negativa de alguém com relação a mim e isso me incomoda muito. É difícil pra mim sair da minha casa, meu tão conhecido santuário, e encarar o mundo. Correr atrás do que eu quero e preciso, falar com pessoas, pedir ajuda e ouvir um “não”. Não sei lidar muito bem com isso.

Eu finjo que está tudo bem, que estou tranquila, mas a verdade é que estou tremendo, suando, evitando falar para não gaguejar. Não gosto de ser o centro das atenções. Acho que até deixo essas emoções bem visíveis, por mais que eu tente esconder. Qualquer bom observador notaria isso.

Quando eu era criança eu tinha pavor de ficar sozinha na escola e por isso preferia até andar com “amigas” falsas que estavam pouco se lixando para a minha companhia. Eu tinha certeza que as pessoas me olhavam quando eu estava sozinha e ficavam pensando “me menina estranha ali sozinha”. Eu me preocupava demais com a opinião dos outros. Era um tormento, um inferno.

Já na adolescência eu aprendi a aceitar a solidão, afinal era uma coisa que fazia parte de mim constantemente, e comecei a perceber que não é tão ruim assim. Eu ainda não estava tão à vontade assim, mas era um começo pelo menos. Ainda assim, houve casos que eu ficava sozinha nos intervalos por falta de companhia, a inspetora me perguntava porque eu ficava sozinha e eu era obrigada a dizer que preferia ficar sozinha, que gostava, quando na verdade eu era obrigada a ficar assim porque ninguém queria ficar perto de mim.

Hoje em dia, na fase adulta, eu aprendi a aceitar a solidão. Já não é mais um pesadelo meu, um medo ficar sozinha. Gosto até. Prefiro até. Como as coisas mudaram. Agora o ponto é que eu não quero abandonar a solidão para interagir com as pessoas porque uma coisa que não mudou é o meu medo em conversar e interagir com os outros.

Eu sei que ninguém é uma Ilha, ninguém vive sozinho. Todo mundo precisa da ajuda de todo mundo em qualquer momento da sua vida. Todo mundo precisa de ajuda de professores para estudar, precisa de um chefe para ter um trabalho e ganhar dinheiro, precisa de alguém para comprar sua casa, comprar suas coisas, ter uma vida confortável, precisa de familiares e amigos.

Ainda hoje eu estou nessa luta constante de tentar superar meu medo de conversar com as pessoas, pedir ajuda quando preciso, aprender a aceitar um “não” que não é a pior coisa do mundo. Não sei se alguma vez na vida irei superar esse medo por completo, mas desejo diminuir bastante a ponto de não me importar tanto em falar com alguém. Talvez algum dia eu veja que é benéfico pra mim conversar com as pessoas certas, acabe gostando disso e faça mais vezes. Assim o medo irá diminuir ao ponto que a coragem aumente.

Renata Carvalho
(23.04.2015)


[Desafio das 52 semanas] Semana 16: Isso, pra mim, não é diversão:

segunda-feira, 20 de abril de 2015

1. Touradas
Nunca na vida entendi como isso pode ser considerado diversão. O maltrato com os animais é pavoroso, você vê o touro sofrendo e ao redor da arena as pessoas rindo felizes. Decididamente sou contra e sou dessas que torce para o touro dar uma bela chifrada no toureiro.


2. Bullying
Outra “diversão” de pessoas de mente pequena que só pensam em si e tem uma necessidade incontrolável de humilhar os outros para se auto afirmar e ser “aceito” pelos colegas. Eu já sofri bullying e posso dizer que não é nem um pouco legal.


3. Beber até cair
Quem acha divertido isso, tudo bem, desde que não fique enchendo o saco e sendo um mala com as outras pessoas. Eu já tive que aturar amigos e conhecidos bêbados e posso dizer que é muito chato isso. Não vejo nenhuma graça em perder o controle do próprio corpo e ainda incomodar os outros.


4. Trotes violentos
O meu trote quando entrei na faculdade foi light, de boa. Um veterano entrou na sala no primeiro dia de aula se passando por um professor bravo e rígido, assustando todos nós, depois riu e nos deu as boas vindas, foi divertido. Mas aqueles que são violentos sou totalmente contra. Não vejo graça nenhuma nessas brincadeiras que humilham, inferiorizam e ameaçam o calouro. Onde que isso é legal?


5. Som alto em ambientes públicos
Acho uma incrível falta de respeito você ouvir suas músicas altas no celular sem fones de ouvido ou ligar o som do carro bem alto com janelas e porta-malas abertos. Nem todo mundo curte as mesmas músicas que você, aceite e respeite isso!

Sobre a correria que são os meses de Abril e Maio

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Oi gente! Não sei se vocês repararam que andei meio sumida daqui do blog. Se antes eu já postava pouco, agora então é quase nunca. Acontece que em abril e também maio são alguns dos meses mais corridos pra mim do ano por conta da faculdade. Milhares de trabalhos pra fazer que todos os professores passam, e parecem não estar nem aí se a gente já está sobrecarregado de coisas pra fazer ou não, hahaha.

Meus trabalhos consistem em ter ideias criativas de programas, quadros, webséries, documentários, comercias, chamadas, vinhetas etc. para programas de rádio e televisão. Escrever roteiros (que passam por inúmeras alterações até serem aprovados), filmar, lidar com o áudio, iluminação, cenário, atores, apresentadores, figurantes, editar, finalizar, fazer um trabalho escrito completo de todo esse processo e apresentar.

Daí que em abril e maio são os meses que eu corro atrás disso tudo, é muito cansativo, muito desgastante, muito estressante. Mas não sei explicar porque também é demais, engraçado, realizador, eu aprendo muito. Preciso me dedicar muito se eu quiser não só tirar uma nota boa, mas conquistar a admiração dos professores que é muito compensador.

E claro que não tem só os trabalhos. As aulas seguem normalmente e eu preciso estudar sempre, ler livros da biblioteca, pesquisar mais a fundo na Internet. Tudo isso porque no final do mês de maio terão as provas valendo metade da nota e eu preciso ir bem.


Então é por conta dessa correria toda que minhas postagens no blog terão uma pequena queda no quesito conteúdo criativo, novo. Durante esse período não prometo resenhas novas de livros, filmes e séries. Entretanto, o Desafio das 52 semanas que eu estou participando está aí para garantir ao menos quatro posts por mês.

Eu já estava participando normalmente dos projetos de grupos no facebook Lente Criativa e +QP, e não pretendo dar nenhuma pausa, já que é um conteúdo só por mês de cada e é fácil dar conta. E vou voltar a participar mais ativamente do Rotaroots, que é sempre tão divertido e vai ajudar também com conteúdos aqui no blog.

Em resumo, é isso. O desafio do ano e os projetos mensais de grupos no facebook.

Mas mesmo com tanta correria, eu simplesmente não consigo abrir mão das minhas leituras. Preciso ter sempre um livro à mão para ler em alguns poucos momentos de folga e relaxar um pouco. Claro que todas essas leituras serão futuras resenhas e indicações no blog. Eu continuo tentando manter minha meta de assistir ao menos cinco filmes por mês, por enquanto estou conseguindo, ufa! Já seriado está bem difícil, estou atrasada com vários episódios, mal posso esperar pelas férias, quando conseguirei me manter em dia e ainda começar séries novas.

E é isso, passando só pra dar essa esclarecida básica mesmo! :)

Beeeijos!


[Lente Criativa] Sentidos

quarta-feira, 15 de abril de 2015
O Lente Criativa é um grupo no Facebook que visa valorizar a fotografia e criatividade, pretendendo-se criar um projeto fotográfico único com pessoas que usem seus olhares criativos para fazer fotografias originais com amor por essa ação. São propostos desafios fotográficos mensais, onde todo mês é selecionado um tema como assunto daquele mês. As fotos devem ser publicadas do dia 1 até o dia 15. Para saber mais, conheça o grupo.

» Como sentidos é um tema bastante abstrato e pode ser interpretado de várias formas, cada um pode e deve interpretá-lo da sua forma.

O tema do mês de abril é SENTIDOS. Achei bem difícil mesmo o tema escolhido, mas por fim resolvi selecionar algumas fotos que eu tinha guardadas de pessoas, situações e lugares que me trazem alguma sensação, alguma lembrança e que faz todo o sentido, pelo menos pra mim. É difícil explicar, acho que só eu mesma vou entender.


Eu realmente tenho muita dificuldade em escolher poucos blogs para indicar aqui no final no post, afinal são fotos tão lindas e criativas que as participantes do grupo fazem!


[Desafio das 52 semanas] Semana 15: O que há de pior no mundo virtual?

segunda-feira, 13 de abril de 2015
1. Exposição excessiva
Compartilhar um pouco da sua vida na Internet tudo bem. É legal contar para os amigos coisas legais que aconteceram com você, talvez também postar o que você está fazendo naquele momento. A vida é sua, o perfil é seu, portanto você é livre para fazer o que quiser, postar o que quiser e quantas vezes quiser, e quem não gostar, não é obrigado a te seguir. Mas tome cuidado com a exposição excessiva. Ficar postando coisas muito pessoais da sua vida não é legal como o endereço da sua casa, seu telefone, seu ódio por alguma pessoa, seus problemas, sua situação financeira. Controle-se!

2. Pseudo Intelectuais
Na internet, todo mundo é especialista em tudo, todo mundo é dono da verdade, e ninguém quer saber da opinião de mais ninguém, só a sua “presta”. Nas palavras do Dumbledore: “Todo mundo acha que o que tem para dizer é mais importante do que qualquer coisa que o outro tenha para contribuir.”. A pessoa bota na cabeça que a sua história e opinião é fabulosa e deve ser contada para o mundo, mas a verdade mesmo que essa pessoa não conhece é que ninguém não liga a mínima, não está nem aí para você e a sua opinião. Aceite isso!

3. Spoiler
Quem me conhece sabe eu adoro ler muitos livros e assistir muitos filmes e séries. Acompanho muitas sagas e claro que adoro me surpreender com coisas que acontecem no próximo livro de uma saga, no próximo episódio ou temporada de um seriado, no próximo filme de uma série. E é por isso que eu odeio topar com algum spoiler na Internet, é tão fácil isso acontecer. Tudo bem querer comentar um episódio por exemplo, mas antes, AVISE que irá soltar spoilers, assim as pessoas não correm o risco de ficar sabendo de coisas que elas não querem saber.

4. Mendigos da Internet
Isso acontece principalmente com perfis de gente famosa. Vejo demais nas fotos de pessoas famosas comentários como “me segue que eu te sigo de volta”, “SDV”, “troco likes”, “troco comentários”, “troco seguidores”, “curta 5 fotos minha que eu curto 50 suas”. E o pior é que não é só com gente famosa não. Eu mesma, que não tenho um blog de sucesso e nem sou tão conhecida, já recebi tweets, mensagens e comentários de pessoas que nunca vi na vida pedindo para trocar likes, para visitar o blog deles. Quanto desespero!

5. Plágio
Pelo menos que eu saiba, nunca nenhum post meu do blog foi plagiado, ainda bem. Mas já vi isso acontecer com outras blogueiras e acho isso o cúmulo da idiotice. Se você não tem criatividade e nem capacidade de criar algo único, original, com a sua assinatura e só seu, porque você tem um blog então, pra começo de conversa? É muito chato quando a pessoa se esforça para criar um conteúdo muito bacana, leva horas e mais horas para isso, postar, e no final, vir uma blogueira de quinta categoria copiar tudo e colar no próprio blog. O que você faria se o SEU post fosse plagiado? Não faça com os outros o que você não queria que fizessem com você!


[Desafio das 52 semanas] Semana 14: Meus sites preferidos na internet:

segunda-feira, 6 de abril de 2015
Twitter
Esse é o primeiríssimo site que eu abro quando entro na Internet. Amo demais o Twitter, é o meu site favorito. Lá só tem gente legal, só sigo gente legal e só gente legal me segue. Não me sinto na obrigação de seguir ninguém que eu não queira, como é o caso do face. Lá eu posso falar (quase tudo) o que eu quero, posso choramingar ou gritar minha felicidade que as pessoas só vão me apoiar. Ah, sem contar que a zuera hue hue br desse site é a melhor de todas, hahaha!
Meu perfil: @RehCarv

Blogger
Nesse site eu pude criar meu tão amado blog que não vivo mais sem. É bem fácil de mexer, perfeito e recomendado para iniciantes mesmo ou pessoas que não tenham um conhecimento tão grande assim de html ou não podem ficar gastando com hospedagem. Já uso esse site há anos, desde muito antes de criar esse blog. E se você conseguir muitos visitantes admiradores do seu trabalho, você pode lucrar com acessos, fazer publieditorial e ganhar dinheiro com isso. Pode ser o seu trabalho.

Youtube
Amo muito assistir vídeos no Youtube. Há tantas pessoas por aí tão criativas, tão talentosas, opiniões ótimas, divertidas. Se não fosse o Youtube, eu nunca ficaria conhecendo, afinal as chances dessas pessoas aparecerem na televisão são pequenas. Nesse site todo mundo pode dar a sua opinião, todo mundo pode aparecer, ser ouvido em todo o mundo, onde e quando você quiser. Sem contar que você ainda pode ganhar dinheiro com visualizações.

Listography
Esse site já existe há muitos anos, teve o seu auge, mas hoje foi deixado um pouco de lado pelas pessoas. Eu, no entanto, descobri ele não tem muito tempo e hoje uso como se tivesse acabado de ser lançado e fosse uma grande novidade. Adoro fazer listas e esse site me ajuda de todas as formas. Faço não só listas de coisas que gosto, mas também coisas que quero comprar, preciso fazer, coisas que já fiz; tanto da faculdade quanto da vida pessoal. É maravilhoso e me ajuda muito.
Meu perfil: /renatacarvalho

Google
Maravilhoso site de buscas. Na época em que o Google, Yahoo, Cadê e Achei estavam tentando ganhar espaço entre os internautas, eu me lembro de ter optado pelo Google que eu achei ser o mais completo, o que mais gostei. Hoje não dá mais pra viver sem. Qualquer mínima dúvida que eu tenha, recorro a ele e a resposta aparece instantaneamente na minha frente. É muita facilidade.
Perfil do blog: Google+




Theme Base por Erica Pires © 2013 | Livro de Memórias, por Renata Carvalho | Blog no ar desde 03.05.2013 | Versão 2.2 no ar desde 01.01.2014 | Topo