[Resumo do Mês] Setembro de 2014

terça-feira, 30 de setembro de 2014


Mais um mês corrido, mas eu não esperava que fosse diferente, hehe. Faculdade e o curso de cinema estão a todo vapor, ambos passando muitas atividades e trabalhos. Atualmente estou envolvida na produção de um programa de TV (24 minutos), um programa de rádio (24 minutos) e um curta-metragem (10 minutos).

O triste é que eu quase não assisti nenhum filme esse mês, leituras também foram poucas e seriados nenhum mesmo. Haverá um dia nas férias que eu me dedicarei 100% a todas as minhas leituras atrasadas, seriados e filmes; mas esse dia ainda não é hoje :P

Ao menos consegui manter o ritmo de postagens no blog, estou lutando para não deixar de postar. Vamos ver agora as postagens do mês:


Literatura:
 Jogos Vorazes – Suzanne Collins

Cinema:
 Jogos Vorazes (2012)

Curta Metragem:

Seriado:

Rotaroots:
• [Blogagem Coletiva] O que é independência para mim?
• [Blogagem Coletiva] Das cartas que eu nunca te escrevi

Outros:


Livros lidos em Setembro: 2
• Lola e o Garoto da Casa ao Lado – Stephanie Perkins*
• Procura-se um marido – Carina Rissi*

Filmes assistidos em Setembro: 3
• Lucy (2014)
• Labirinto – A Magia do Tempo (1986)*
• Frozen (2013)

* não foi a primeira vez que eu li/assisti


E feliz aniversário para mim que estou completando 24 anos hoje!!!


Follow Me:

[Meme] 5 comunidades que eu criaria no Orkut

segunda-feira, 29 de setembro de 2014
Este post faz parte do Rotaroots, um grupo de blogueiros saudosistas que resgata a velha e verdadeira paixão por manter seus diários virtuais. Todas as minhas postagens são da minha infância e/ou adolescência e vão até o ano de 2008, quando fiz 18 anos. Para ler todos os meus posts do Rotaroots, clique aqui. Quer participar? Então faça parte do nosso grupo no Facebook e inscreva-se no Rotation.

» O Orkut se despede este mês das nossas vidas e para homenagear este marco nas nossas vidas, vamos brincar de inventar comunidades que nós criaríamos caso ele ainda estivesse “vivo”. Bota a criatividade pra funcionar e faça jus a este maravilhoso marco em nossas vidas.



Criei meu Orkut no dia 04/07/2006, aos 15 anos de idade. Foi um marco e tanto, a primeiríssima rede social que tive e que usei pra valer. Adicionava todos os meus amigos, parentes, conhecidos e até mesmo gente nova disposta a fazer amizade (e se a nova amizade compensava, íamos conversar melhor no MSN). Sou da época que só conseguia entrar no Orkut mediante um convite enviado por alguém. Foi minha prima quem me apresentou e que me mandou o convite. Escolhia as melhores doze fotos para colocar no álbum, todas acompanhadas de alguma legenda bastante brega divertida ou fofa.

Eu mandava muitos depoimentos para os amigos e também recebia vários, era muito amor. Participava de comunidades engraçadíssimas e outras que tinham tudo a ver comigo, simplesmente me descreviam. Brincava nos joguinhos, principalmente no BuddyPoke, CaféMania e Fazendinha. Conversava com todo mundo pelos scraps (nunca fui do tipo “só add com scrap”).

O Orkut está se encerrando no dia 30/09/2004, exatamente no dia do meu aniversário de 24 anos. Topei então participar desse post do Rotaroots no qual eu falaria as cinco comunidades que eu criaria no Orkut, caso ele ainda estivesse “vivo”.

CaféMania. Cheguei no nível 87!

1. NÃO SOU OBRIGADA!
Não sou obrigada a ler as suas asneiras do Twitter. Não sou obrigada a te seguir de volta. Não sou obrigada a concordar com você. Não sou obrigada a shippar imbecilidades por fazer parte de um fandom. Não sou obrigada a aceitar o seu convite de amizade no Facebook só porque estudamos juntas em algum ano do colegial, eu nem gostava de você!

2. PAREÇO LEGAL, MAS...
(...) fico corrigindo mentalmente seus erros de Português.
Para todas aquelas pessoas que conseguem ouvir calados alguém falando “menas”, “agente vamos”, “galfo/malmita”, entre outros sem cometer um homicídio.

3. TROCO PESSOAS POR LIVROS
Tenho os seguintes disponíveis para troca:
- Tia chata que vive perguntando dos namoradinhos;
- Tio sem noção que só sabe fazer piadinhas preconceituosas;
- Priminho pequeno enjoado e mimado pura ostentação; [RESERVADO]
- Aquele parente aleatório que você não sabe bem qual a sua relação com ele, mas ele insiste em ser um mala ainda assim para cumprir sua função de parente;
- Amiga falsa que cata todos os meus ex-namorados;
- Amigo interesseiro que só aparece quando precisa de favores;
- Vizinha que vive na janela fazendo fofoca da vida de todo mundo.
A maioria está em bom estado de conservação, mas não tem garantia devido ao mal uso de alguns. Aos interessados, favor entrar em contato.
Não aceito devoluções!

4. TÁ MUITO ZUERO FERA
...melhor parar.
Porque sabemos que the zuera never ends.
Hu3hu3hu3hu3hu3hu3 BRBR
Mas é melhor maneirar aí, amigo.
Tá passando dos limites.

5. NÃO SOU TUAS NEGAS
Coisas que eu não sou:
- legal com todo mundo
- muito paciente
- rica
- obrigada
- tuas negas



Ah que saudades o Orkut vai deixar. Não tem como não dizer que ele não me marcou, trata-se de uma parte da minha vida que já passou. Foi um sucesso e tanto no seu auge. Eu me lembro que foi em agosto de 2011 que de uma vez só as pessoas começaram a migrar do Orkut para o Facebook, e em novembro do mesmo ano ele já era considerado abandonado, morto.

Adeus definitivamente Orkut! <3


Follow Me:

[Recomendo] Youtube: Jovem Nerd

sábado, 27 de setembro de 2014

Foi em março de 2014, durante uma aula na faculdade sobre pessoas que produziam conteúdo para a internet e viviam disso, que minha professora apresentou o site do Jovem Nerd, como um bom exemplo disso. Me interessei bastante pelo site naquele momento, e chegando em casa, comecei a olhar tudo, fuçar o site inteiro, buscar saber mais. Acabei na conta do youtube deles e comecei a assistir os vídeos para conhecer. Pronto, deu-se aí o início de um tremendo vício que dura até hoje.

O Jovem Nerd é primeiramente um blog de humor e notícias, criado em 2002, administrado por Alexandre Ottoni (Jovem Nerd) e Deive Pazos (Azaghal). Lá, eles falam sobre entretenimento, mais especificamente sobre cinema, séries de televisão, tecnologia, ficção científica, eventos, quadrinhos, videogames, viagens, últimas notícias da Cultura Pop, etc. Eles também costumam fazer o Nerdcast, que é um podcast onde eles convidam amigos, conhecidos e gente famosa para conversar e debater sobre algum tema em geral, tornando o assunto muito divertido.

Já na conta o youtube deles, que foi onde eu acabei me viciando, eles costumam postar o NerdOffice onde eles falam sobre o cotidiano nerd, filmes que estão para serem lançados ou mesmo enquanto são produzidos, seriados, eventos que eles tenham ido, suas viagens ao redor do mundo, TOP 10, dentre muitas outras coisas. Vai ao ar toda quarta-feira, às 10h.

Tem também o NerdPlayer, um programa onde Jovem Nerd e Azaghal jogam diferentes jogos para todas as plataformas, acompanhados sempre de seus comentários humorísticos. Vai ao ar toda segunda-feira, às 10h.

Ah, e não dá pra esquecer também do AndersonGavetaAlmeida, que é o responsável por toda a edição do NerdOffice e do NerdPlayer. Ele aparece de vez em quando nos vídeos e o cara é a comédia pura, sempre dou muita risada com ele.


Enfim, eles já ganharam inúmeros prêmios ao longo de todos esses anos e o seu público só cresce com o passar do tempo. Então, se você é fã de Cultura Pop e quer estar sempre por dentro de lançamentos de filmes, seriados, Game of Thrones, Star Wars, livros, jogos, feiras e eventos que estejam acontecendo e até mesmo viagens ao redor do mundo que o Jovem Nerd e o Azaghal fazem, esse é o canal certo.


Acompanhe eles também:
Site: Jovem Nerd
Fanpage: Jovem Nerd
Twitter Jovem Nerd: @jovemnerd
Instagram Jovem Nerd: @alottoni
Twitter Azaghal: @azaghal
Instagram Azaghal: @azaghal

[Blogagem Coletiva] Das cartas que eu nunca te escrevi

quinta-feira, 25 de setembro de 2014
Este post faz parte do Rotaroots, um grupo de blogueiros saudosistas que resgata a velha e verdadeira paixão por manter seus diários virtuais. Todas as minhas postagens são da minha infância e/ou adolescência e vão até o ano de 2008, quando fiz 18 anos. Para ler todos os meus posts do Rotaroots, clique aqui. Quer participar? Então faça parte do nosso grupo no Facebook e inscreva-se no Rotation.

» Sim, nós amamos cartas. E agora convidamos você a escrever uma carta que você sempre sentiu vontade de escrever, mas nunca o fez. Para o amor da adolescência, para sua mãe, pro seu pai, pra sua melhor amiga, pro seu cachorro, pra Xuxa... Você escolhe, escreve e publica.



Pig,

Oi minha linda, tudo bem? Já faz muito tempo que você se foi, mas eu nunca te esqueci, volta e meia ainda me lembro de você com saudades, afinal nós passamos muitos anos juntas, e isso não é coisa que se esquece.

Eu só tinha quatro meses quando você nasceu e meus pais resolveram te adotar. Nós crescemos juntas. Eu nunca fui de ficar te agarrando e apertando como uma “Felícia” da vida porque você não gostava, sempre foi bastante invocadinha, e eu não duvidava que você pudesse me morder. Você não gostava de quem você não conhecia, latia pra todo mundo que passava em frente ao nosso portão. Quando chegava visita em casa, ficava uns cinco minutos latindo para elas também até finalmente sossegar. Claro que você nunca mordeu ninguém, só latia mesmo. Lembrar disso agora já me fez abrir um sorriso de saudades.

Ainda assim eu gostava demais de você. Você não dava um pingo de trabalho, até para tomar banho você entrava no box sem choramingar e ficava quietinha enquanto minha mãe te esfregava. Eu passeava com você na coleira e você adorava. Eu falava com você toda feliz dizendo o quanto você era fofa e você já se derretia toda animada, pulando de um lado para o outro a abanando o rabo. Claro que você não entendia uma palavra do que eu dizia, mas você sabia interpretar os sinais, e só de ver o sorriso no meu rosto enquanto eu olhava pra você já era suficiente. Toda santa vez que eu chegava em casa você vinha correndo, latindo de felicidade ao meu redor. <3

Ficamos juntas durante doze anos, isso é uma vida inteira, não teria como eu não ficar marcada. Você já estava bem velhinha quando nasceu aquele tumor na sua pata da frente e começou a andar mancando, e isso para uma cadela já com idade avançada não era muito bom. Meus pais te levaram ao veterinário que disse que só cirurgia tiraria aquilo, e você já sendo velhinha não era muito recomendado. Você estava sofrendo, e a saída foi deixar te levarem sem dor.

Chorei muito quando minha mãe chegou em casa sem você naquela noite e contou o que aconteceu. Eu vi quando minha mãe estava se arrumando para te levar ao veterinário. Eu não fui junto, portanto corri para o carro onde você já estava deitada, quietinha, antes de te levarem. Eu passei a mão na sua cabeça e você olhou para mim em silêncio. Isso foi tudo.

Tem quem diga que prefere não ter animais de estimação porque acabaria se apegando e então ele morreria cedo demais (10 ou 15 anos é cedo). Mas eu digo que vale sim muito a pena. A gente muda a vida para melhor daquele animal que a gente adota, e o que ele faz é dar lealdade e amor pelo resto da sua vida. Então, por mais que a gente sofra quando chega o dia da sua partida, vale muito a pena.

Obrigada por todos esses anos juntas, minha infância inteira. Jamais vou te esquecer! <3

Com amor,

Renata


PIG
(24/01/1991 – 12/01/2003)

P.S.: Minha mãe deu para ela o nome “Pig” (“porco”, em inglês) porque ela tinha o tamanho de um leitão mesmo. Só por causa disso, hehe.


Até me veio lágrimas aos olhos só de escrever essa carta. Essa cadela me marcou demais, é por isso que eu amo tanto animais de estimação. Aqui em casa nós nunca mais tivemos nenhum outro cachorro porque a partir de 2002 nossa rotina mudou como acontece com toda família: trabalhos/escolas novos, e por isso o tempo de cuidar de um cachorro (que necessita tanto de atenção) diminuiu, infelizmente.

Mas nós tivemos alguns gatos que também foram igualmente importantes e que eu amei muito. Hoje em dia, no apartamento que moramos, temos dois gatos lindos que são nossos amores: Lylú e Garu.


Follow Me:

[Seriado] Glee – 3ª temporada

terça-feira, 23 de setembro de 2014

Criador(es): Ryan Murphy, Brad Falchuk e Ian Brennan
Estreia: 11 de setembro de 2011
Nº de episódios: 22
Duração por episódio: 42 minutos
Gênero: Comédia, Drama, Musical
País de origem: EUA
Elenco: Lea Michele, Cory Monteith, Matthew Morrison, Jane Lynch, Amber Riley, Chris Colfer, Dianna Agron, Jayma Mays, Jenna Ushkowitz, Kevin McHale, Naya Rivera, Mark Salling
Nota: 
Sinopse: A história da série é focada nos esforços do professor de espanhol Will Schuester, em reerguer o coral da escola William McKinley, em Lima, Ohio, chamado de “Glee Club” (Clube do Coral), que no passado foi motivo de grande orgulho para todos os alunos na instituição. No entanto, a escola não tem recursos para sustentar o coral, que a princípio só atrai os alunos pouco populares. Assim, eles precisam chegar à final do campeonato regional de corais para garantir a verba para continuar funcionando.

Mais uma vez os membros do Glee Club estão empenhados em treinar muito para ganhar as próximas Nacionais. Uma nova menina chamada Sugar Rush (Vanessa Lengies) faz o teste para entrar no grupo, mas como ela não tem talento para a música, Will é obrigado a recusa-la, o que vai deixar ela muito brava. Blaine é transferido para o McKinley para ficar mais perto de Kurt e integra o Glee Club.

Quinn no início passa por uma fase rebelde em consequência de não ser mais a guardiã do bebê que ela teve, e por isso ela abandona o Glee Club. Shelby Corcoran (Idina Manzel), a mãe de Rachel, foi quem adotou a bebê de Quinn e a chamou de Beth. Ela permite que Puck a veja, mas não Quinn enquanto ela não abandonar essa nova atitude rebelde. Quinn está decidida a ter Beth de volta a arma um plano sem sucesso, ela até mesmo chega a pedir a Puck outro bebê, mas ele declina, preocupando-se com ela e perguntando o que está acontecendo. Por fim ela supera e volta a ser quem sempre foi, retornando ao Glee Club onde é feliz. Ela é aceita numa faculdade, a Yale.


Como esse é o último ano na escola, Rachel e Kurt começam a procurar faculdades em Nova York onde possam estudar música. Eles se decidem pela New York Academy of Dramatic Arts (NYADA). Sonham constantemente em se apresentarem na Broadway.

Will prepara um novo musical para ser apresentado na escola, o West Side Story. Rapidamente Rachel se candidata para o papel feminino principal, mas ela vai disputar com Mercedes que está determinada a brilhar pelo menos uma vez, acusando o sr. Shue de que ele só privilegia Rachel em tudo. Kurt faz o teste para o papel masculino, mas ele não passa, mas o que vai deixa-lo ainda mais surpreso é que Blaine acaba passando.


Mike passa por problemas com seus pais quando ele tira a nota “-A”, o que é considerado péssimo para eles que o pressionam a terminar o namoro com Tina e deixar o grupo. Mike convence-os de que ama o que está fazendo e que quer ser um artista. Ele se empenha para dar o seu melhor na peça West Side Story, o que vai comover seus pais.

Shelby é trazida à escola como diretora de um segundo Glee Club, a pedido do pai de Sugar que é muito rico e pagou para criarem um coral onde a filha pudesse estar. O novo Glee Club, comandado por Shelby, é formado não apenas por Sugar, mas também por Mercedes, Santana e Brittany que não estavam satisfeitas com o jeito que as coisas eram no antigo grupo. Há muita briga entre os dois Glee Club, até por fim todos finalmente se entenderem e voltarem a ser um grupo só, principalmente depois que Shelby anunciou que iria embora.

Os novos grandes rivais do Glee Club são os alunos da antiga escola de Blaine, a Dalton Academy, agora liderados por Sebastian Smythe, que está decidido a separar Blaine e Kurt, além de ganhar as Regionais. Há uma grande tensão e disputa entre os dois clubes


Mais do que nunca Santana está alterada nessa temporada. Raivosa, irônica, agredindo todo mundo ao seu redor tanto verbalmente quanto fisicamente. Brittany é a única pessoa no mundo que ela gosta e com quem se sente bem. Numa discussão, Finn pergunta maldoso quando ela irá “sair do armário”, o que já não deixa duvida para mais ninguém. Santana tem medo de não ser aceita, mas o Glee Club como sempre está lá para apoiá-la e ela acaba se assumindo lésbica.

Sam havia saído da escola para trabalhar numa boate e conseguir dinheiro para a sua família que é muito pobre. Rachel e Finn o procuram e o convencem a voltar para a escola, onde não só é melhor para o futuro dele, como também precisam dele no Glee Club. Sam retorna, Quinn tenta voltar com ele, mas ele não está mais interessado. Ele quer voltar com Mercedes, mas vai encontrar dificuldades, já que agora ela tem um novo namorado.

Will e Emma finalmente estão namorando. Will a pede em casamento e ela aceita. Finn também pede Rachel em casamento. Ela hesita bastante por uns tempos, mas por fim acaba aceitando. Todos ao redor acham isso uma loucura, mas eles estão decididos a levar isso adiante.


Puck tem planos de ir para Los Angeles depois que se formar e montar um negócio maior de limpeza de piscinas. Sue quer ser mãe e vai atrás de um doador de esperma. Ela consegue, mas descobre que vai ter uma menina com síndrome de down. Ainda assim, ama-a muito. Mercedes sonha em ser famosa e inspirar pessoas. Santana é aceita num programa de líderes de torcida para entrar na universidade, com a ajuda de Sue. Há tensão entre Blaine e Kurt porque este vai para Nova Iorque, enquanto que Blaine ficará para trás, para concluir a escola. Ele tem medo que isso os afastará, mas Kurt diz que isso não acontecerá.

As Nacionais acontecem em Chicago. O Glee Club compete mais uma vez contra o coral bastante talentoso Vocal Adrenaline, que esse ano revelou Jesse St. James (Jonathan Groff), o antigo namorado de Rachel, como o treinador do grupo e também Wade Unique (Alex Newell) cantando o solo.

Brittany reprovou, então ficará na escola mais um ano. Mas acontece a formatura de Rachel, Santana, Mercedes, Finn, Kurt, Quinn, Puck e Mike. Rachel está finalmente livre para seguir seus sonhos, e ainda que esteja assustada, ela recebe o apoio de Finn e dos amigos do coral a seguir em frente.



Não achei que foi tão bom assim o início dessa temporada. Vários personagens se esforçando ao máximo para deixarem de ser quem realmente são ou saindo o grupo depois de várias brigas. Foi só a partir do meio da temporada que eles caíram na real e resolveram voltar ao grupo, e foi só aí que eu achei que a temporada ficou boa.

Gostei de vários personagens terem FINALMENTE se rebelado com o sr. Shue sobre o fato de só a Rachel ganhar os solos, só ela ser a principal, enquanto que tem muitas outras pessoas no grupo que também são muito talentosas. Mercedes foi uma dessas pessoas, e também a Tina.

Não sei por que insistem em fazer da Quinn uma personagem má de vez em quando, sendo que escolheram a Dianna Agron para interpretá-la. Não consigo vê-la no papel de alguém má, eu acho ela “princesinha” demais, toda loira, calma, usando vestidos florais. O seu papel de revoltada não me convenceu em absolutamente nada.

Essa temporada focou bastante na saída dos personagens principais da escola e as escolhas de suas faculdades. Eu me lembro de ter ficado animada com isso, imaginando que na próxima temporada os personagens secundários que ficaram na escola finalmente teriam a chance de se destacar, mas não foi bem o que aconteceu. Falo disso na resenha da próxima temporada.

Gostei demais de várias músicas dessa temporada. Todas as músicas cantadas pelo grupo da Shelby não me decepcionaram. A Rachel era tão chata que até mesmo a Mercedes e a Santana acabaram se entendendo nesse novo grupo.

Enfim, não achei essa temporada maravilhosa como a anterior, mas também não foi de todo ruim. Teve sim seus momentos que foram muito bons.


A série:

Glee
3ª temporada (2011)
4ª temporada (2012)
5ª temporada (2013)
6ª temporada (2014)


Follow Me:

[Curta Metragem #6] A Pequena Vendedora de Fósforos

domingo, 21 de setembro de 2014


A Pequena Vendedora de Fósforos (The Little Matchgirl) é um curta-metragem lançado pela Walt Disney. Dirigido por Roger Allers. Lançado em 2006. Tem duração de 7 minutos. Foi indicado ao Oscar de 2007.
Sinopse: A história de uma pequena garotinha russa no período pré-revolucionário que tenta sem sucesso vender seus fósforos para sair do frio. E com esses mesmos fósforos ela é capaz de ter as mais belas visões de esperança.

A menina da história é aparentemente órfã, sem teto, sem comida e uma menor abandonada que está passando frio na metrópole gelada da Rússia czarista. Após não conseguir vender seus fósforos, ela risca alguns na tentativa de se aquecer um pouco, e a cada fósforo riscado, ela tem as mais belas visões da felicidade que a envolvem enquanto o fogo do palito dura. Ela sonha com jantares suntuosos, com uma avó que a acolhe e com uma árvore de Natal até o momento que ela mesma parte.

Tudo foi desenhado em tons pastéis de cores frias (preto, azul, cinza e branco), exceto pelas visões da menina que ganhavam cores quentes (verde, laranja, vermelho e marrom). O curta foi baseado no conto de Hans Christian Andersen.

Uma história muito triste escrita em 1845, mas cuja realidade que ela retrata perdura até os dias de hoje, sobre contextos diferentes. Eu li o conto original e parece que ela tinha pais e uma casa decrépita, e aparentemente o pai costumava ser bruto e surrá-la, tendo sido ele quem a mandou vender os fósforos e ela estava com medo de voltar sem uma moeda sequer. Enfim, vale muito a pena conhecer essa história tocante, não só essa versão que a Disney fez como também ler o conto original.




Follow Me:

[Meme] 7 músicas para cantar no karaokê

sexta-feira, 19 de setembro de 2014
Este post faz parte do Rotaroots, um grupo de blogueiros saudosistas que resgata a velha e verdadeira paixão por manter seus diários virtuais. Todas as minhas postagens são da minha infância e/ou adolescência e vão até o ano de 2008, quando fiz 18 anos. Para ler todos os meus posts do Rotaroots, clique aqui. Quer participar? Então faça parte do nosso grupo no Facebook e inscreva-se no Rotation.

» Indique 7 músicas que você AMA cantar no karaokê ou que você gostaria de cantar. “AI NÃO GOSTO DE KARAOKÊ”: Substitui por chuveiro e tá tudo certo.




1. Oops… I did it again – Britney Spears
Como uma grande fanática pela Britney, lógico que eu não podia deixar de fora dessa lista uma das músicas dela. Sou péssima cantando em inglês, mas é só enrolar um pouco que tá tudo certo, o importante e não deixar de cantar só por causa disso. E se a música vir junto com uma das coreografias dela, melhor ainda! ;D


2. Evidências – Chitãozinho e Xororó
Não basta você se entregar de corpo e alma quando canta essa música no karaokê, é preciso também chamar todo mundo pra cantar junto, principalmente no refrão. Mais brega, impossível, mas totalmente indispensável.


3. Barbie Girl – Aqua
Divertido é chamar um amigo para cantar essa música junto, ele fazendo o Ken e você a Barbie. Quanto mais animados vocês cantarem, melhor, afinal no mundo da Barbie tudo é só festa, e claro que deve-se trazer essa emoção também para a cantoria.


4. Whisky a Go Go – Roupa Nova

Indispensável em todas as festas de aniversário, e também no karaokê. Essa música arrasta multidões, não tem ninguém que não conhece a letra. E também dá pra chamar os amigos pra cantarem juntos.


5. La Tortura – Shakira e Alejandro Sanz
Não dá pra cantar essa música se não for rebolando igual a Shakira, é a regra, haha. Ótima oportunidade para arriscar o espanhol toda sedutora, e não só pode como também deve ser cantada em dupla.


6. Ragatanga – Rouge
Quem nunca cantou e dançou esse sucesso que estourou em 2002 do grupo Rouge em todas as festas possíveis? Até mesmo apresentação na escola com essa música eu participei. A música é bem rápida e o refrão totalmente incompreensível, mas se você viveu essa época, com certeza não só vai saber cantar tudo direitinho, como também vai saber toda a coreografia.


7. Sandra Rosa Madalena – Sidney Magal
Quer música mais intensa, enérgica e apaixonante do que essa? Não basta cantar a letra, é preciso fazer a voz feroz do Sidney Magal, o que torna tudo muito mais engraçado. Também dá pra chamar todo mundo pra cantar e dançar junto, é diversão na certa.


Menções honrosas que eu não quis deixar de citar:
- Girls Just Want To Have Fun, Cindy Lauper
- Wannabe, Spice Girls
- I Will Survive, Gloria Gaynor
- Total Eclipse of the heart, Bonnie Tyler
- Livin’ on a prayer, Bon Jovi
- Mamma Mia, ABBA


Foi só esse ano que eu fui ao Karaokê pela primeira vez. Foi no Karaokê Box Porque Sim – Karaokê e Lamen House, que fica na Av. Liberdade, em São Paulo. Eu e meus amigos não temos o costume de cantar e muito menos de ir em karaokê (gostamos mais de dançar), mas uma amiga minha, a Cris, costuma ir várias vezes com os amigos dela e me chamou. Resolvi ir pra conhecer e acabei me divertindo horrores.

Para mim, quanto mais antiga e brega a música for, melhor para se cantar no karaokê. Se tiver passos de dançar, melhor ainda. É tudo muito divertido. Ninguém é profissional e nem nada, a gente vai lá pra rir mesmo uns dos outros pagando mico, e claro, tendo perfeita noção que a gente também está lá pagando mico, hahaha.


Follow Me:

[Seriado] The Big Bang Theory – 4ª temporada

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Criador(es): Chuck Lorre e Bill Prady
Estreia: 23 de setembro de 2010
Nº de episódios: 24
Duração por episódio: 22 minutos
Gênero: Comédia
País de origem: EUA
Elenco: Kaley Cuoco, Johnny Galecki, Jim Parsons, Simon Helberg, Kunal Nayyar, Mayim Bialik, Melissa Rauch
Nota: 
Sinopse: Nesta temporada, o universo romântico habitado pela turma de The Big Bang Theory se expande ainda mais. Ainda tentando esquecer Penny, Leonard se apaixona pela irmã de Raj, Priya. Sheldon arruma uma namorada, Amy, uma obstinada neurobióloga que se autodenomina a melhor amiga de Penny. O relacionamento de Howard e Bernadette fica mais quente; enquanto isso, Raj tem fantasias com ela em devaneios à lua do dia. Observe todas as leis da física atuando nesta genial e premiada comédia.

Sheldon tem o primeiro encontro de sua vida com uma moça chamada Amy Farrah Fowler (Mayim Bialik). Penny tenta ajuda-lo, mas as coisas não saem muito bem. Ele afirma que nunca foi de ficar interessado em ter um relacionamento, mas suas atitudes não são de alguém que não se importa, já que foi visto em companhia de vários gatos, evidentemente tentando suprir a falta que Amy faz. Por fim eles se acertam e voltam a ficar juntos. É um relacionamento bastante estranho, Sheldon não quer ter nenhum contato físico, mas também não quer ficar sem a companhia dela. Amy estipula que eles devem ao menos andarem de mãos dadas, mas isso não será o suficiente para ela que vai tentar avançar sobre ele sempre que tiver uma oportunidade.

Howard também está nessa de idas e vindas com sua nova namorada Bernadette Rostenkowski (Melissa Rauch). Eles brigam e terminam algumas vezes, mas sempre acabam voltando. Quando o namoro finalmente se firma até ficar sério, Bernadette vai sugerir que já está na hora de morarem juntos, mas a mãe superprotetora de Howard vai dificultar bastante as coisas.


Raj ainda está sozinho, e involuntariamente vai começar a ter fantasias com Bernadette, que é uma das poucas mulheres em sua vida que foi muito gentil e atenciosa com ele.

Mais uma vez Leonard e Amy terminaram o namoro. A irmã de Raj, Priya (Aarti Mann), vem visita-lo e ela vai acabar se envolvendo com Leonard, no início em segredo, mas depois abertamente, para grande descontentamento de Raj. Esse novo namoro também não agrada nem um pouco Penny, que vai ser consolada por Amy que está empolgada em ter uma “nova melhor amiga”, como ela vive dizendo. Logo Leonard notará que esse seu novo namoro está fazendo-o perder a amizade de Penny, coisa que ele não quer de jeito nenhum.


Sheldon, Leonard, Howard e Raj acampam numa fila para ver 21 segundos inéditos do filme “Caçadores da Arca Perdida”, mas aparece ninguém menos do que Will Wheaton com seus amigos que acabam furando fila, o que vai gerar muita confusão.

Todos passam o ano novo numa livraria de história em quadrinho, com o tema fantasia. Os amigos resolvem ir fantasiados de “Liga da Justiça”.

Penny e Bernadette resolvem ter uma noite só de garotas e convidam Amy para que todas elas se conheçam melhor. Amy vai se mostrar empolgada até demais por finalmente ter amigas que fazem festinhas como aquela. Diz que agora as três são melhores amigas em tudo.



A atriz Kaley Cuoco (Penny) sofreu um acidente mais ou menos no início das filmagens dessa temporada. Ela caiu de um cavalo e quebrou a perna, por isso acabou ficando ausente de alguns episódios. Quando ela finalmente voltou, não foi como garçonete na The Cheesecake Factory, mas sim bartender, para esconder o gesso em sua perna.

Senti muita falta do “Bazinga!” do Sheldon que não teve nessa temporada, era algo que marcou o personagem e muito engraçado.

Dessa vez tivemos pra valer a inclusão das personagens Amy e Bernadette na série. Achei digno, já deu o que tinha que dar os quatro nerds e a loira bonita. Gosto de novos personagens carismáticos e que tem muito a acrescentar. Definitivamente Amy vai mexer com um lado do Sheldon que parecia inexistente, o seu relacionamento amoroso. É fofo ver como ele diz não ligar para isso, mas também não quer mais ficar longe dela. Eles se completam. Foi já aqui que eles se tornaram um dos meus casais favoritos em toda a cultura pop, gosto muito do Sheldon com suas neuras e a Amy com suas estranhezas, são muito lindos quando estão juntos <3

Já a Bernadette veio em boa hora, quando o Howard já estava começando a ficar insuportável no seu desespero em encontrar uma namorada. E esse casal faz parte de um triângulo amoroso sem saber, já que Raj se interessou pela Bernadette também, hehe.

Como não pode faltar, há muitas menções como sempre a Star Wars, Star Trek, super-heróis e vários filmes que fizeram e fazem sucesso da cultura pop, e eles como bons nerds, não poderiam ser menos do que fãs viciados nessas coisas e bons entendedores.


A série:

The Big Bang Theory
4ª temporada (2010)
5ª temporada (2011)
6ª temporada (2012)
7ª temporada (2013)
8ª temporada (2014)


Follow Me:


[Cinema] Jogos Vorazes (2012)

segunda-feira, 15 de setembro de 2014
Série: Jogos Vorazes #1

Título original: The Hunger Games
Direção: Gary Ross
Distribuição: Lionsgate
Estreia: 23 de março de 2012
Duração: 142 minutos
Classificação: 14 – Não recomendado para menores de 14 anos
Gênero: Ação, Aventura, Distopia, Ficção, Romance
País de origem: EUA
Elenco: Jennifer Lawrence, Josh Hutcherson, Woody Harrelson, Elizabeth Banks, Liam Hemsworth, Lenny Kravitz, Stanley Tucci, Donald Sutherland
Nota:  
Sinopse: Num futuro distante, boa parte da população é controlada por um regime totalitário, que relembra esse domínio realizando um evento anual – e mortal – entre os 12 distritos sob sua tutela. Para salvar sua irmã caçula, a jovem Katniss Everdeen (Jennifer Lawrence) se oferece como voluntária para representar seu distrito na competição e acaba contando com a companhia de Peeta Melark (John Hutcherson), desafiando não só o sistema dominante, mas também a força dos outros oponentes.

O filme Jogos Vorazes é baseado no livro de mesmo nome, escrito pela Suzanne Collins, o primeiro de uma trilogia. Fiz a resenha do livro que você pode conferir AQUI.

A história se passa numa nação futurística chamada Panem (antigo Estados Unidos), que é formada por 12 distritos que são governados por uma cidade central e poderosa, a Capital.  Tudo começa quando Katniss Everden (Jennifer Lawrence) se oferece para tomar o lugar de sua irmã mais nova, Prim (Willow Shields), que havia sido sorteada para participar dos Jogos Vorazes, uma competição obrigatória e mortal que seleciona um garoto e uma garota de cada um dos doze distritos para lutarem numa perigosa arena até que reste apenas um único vencedor. Já o garoto sorteado do distrito 12 é Peeta Mellark (Josh Hutcherson), um colega da escola de Katniss com quem nunca conversou, conhece apenas de vista.


Juntos, eles são levados para a Capital. Lá, eles conhecem o homem que irá orientá-los e dar dicas de como sobreviver na arena, Haymitch Abernathy (Woody Harrelson). Se encontram também com Effie Trinket (Elizabeth Banks), a moça que indica todos os lugares e a hora em que devem estar. O estilista Cinna (Lenny Kravitz) também acaba se mostrando muito importante com seus figurinos arrasadores que conquista a multidão, mas o mais precioso para Katniss é que ele parece sempre ter uma palavra de consolo para acalmá-la e ajuda-la a lidar com tudo o que está acontecendo.

Katniss começa a treinar junto com os outros tributos sorteados que se mostram extremamente letais e ansiosos para entrar na arena. Faz aparições públicas e se obriga a sorrir a fim de conquistar patrocinadores dispostos a ajuda-la na arena, o que pode fazer a diferença entre a vida e a morte. Participa de entrevistas onde acaba conhecendo Caeser Flickerman (Stanley Tucci), o entrevistador mais conhecido e popular de toda Panem.


É em uma dessas entrevistas que Peeta faz uma revelação inesperada para o público, deixando Katniss abalada e se sentindo na obrigação de sustentar a mentira dele, a fim de agradarem as pessoas, mesmo que ela própria não esteja nem um pouco feliz com tudo isso.

Finalmente na arena, mesmo sabendo manejar um arco e flecha como ninguém e sabendo um pouco como sobreviver na natureza, Katniss está assustada. Precisa fugir e se esconder para se salvar já que todos os outros tributos estão a sua procura, mas o que mais a surpreende é que Peeta faz parte dessas pessoas, parecendo tão sedento pelo sangue dela quanto qualquer outro ali.



Assisti a esse filme pela primeira vez no cinema quando minha prima me chamou para ir junto com ela. Até então eu não tinha acompanhado absolutamente nada do lançamento de fotos oficiais, trailer e pôster. Não conhecia nada, não sabia o que esperar, então fui só para conhecer mesmo, despretensiosamente.

Claro que eu não esperava que fosse gostar tanto, acabei me surpreendendo muito. Fiquei bastante feliz em finalmente conhecer uma adolescente protagonista que não pensasse apenas no seu “amor verdadeiro” e passasse a história inteira suspirando por isso. Katniss tem atitude, é durona, é centrada no que tem que fazer, e ela não tinha planos para o romance na sua vida, na verdade ela nem pretendia se casar ou ter filhos. Quando foi obrigada a encenar uma paixão por Peeta, ela não ficou nada feliz, ela nunca foi muito dada a romances.

Portanto, fiquei satisfeita por criarem uma história em que mostravam uma protagonista mulher que não vivia pelo seu amor, como costuma acontecer na grande maioria das histórias cujas personagens principais são femininas.

Mas voltando ao filme. Só depois de assistir que descobri que ele foi baseado em um livro, descobri então a trilogia e resolvi começar a ler. No total, devo ter lido os três livros em uma semana, eu simplesmente devorei a história, de tão boa que eu achei.

Gostei bastante do fato do filme complementar o livro. Vou explicar: O livro é narrado em primeira pessoa pela Katniss, portanto lá nós só conhecemos toda a história e tudo o que está acontecendo pelo seu ponto de vista. Já o filme se passa em terceira pessoa, ou seja, mostrando acontecimentos novos que explicam eventos que aconteceram no livro e que ficou sem explicação porque a Katniss não estava presente e não viu o que aconteceu. Por exemplo, as pessoas controlando toda a arena de fora e também as conversas do presidente Snow com o idealizador dos jogos sobre a Katniss e todo o sistema que governa Panem. São informações a mais muito legais de conhecer. Informações estas que, se estivem no livro, a gente teria entendido muito mais a história.

Enfim, gostei demais do filme, achei que ele foi bastante fiel ao livro na medida do possível, e ainda nos presenteou com essas cenas extras fabulosas que definitivamente não foram “encheção de linguiça”, estavam lá porque eram necessárias.

Já se tornou um dos meus filmes favoritos. Na verdade, uma das minhas séries favoritas!




A Série:

The Hunger Games
1. The Hunger Games (2012) – Jogos Vorazes
2. The Hunger Games: Catching Fire (2013) – Jogos Vorazes: Em Chamas
3. The Hunger Games: Mockingjay – Part 1 (2014) – Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 1
3. The Hunger Games: Mockingjay – Part 2 (2015) – Jogos Vorazes: A Esperança – Parte 2


Follow Me:

Theme Base por Erica Pires © 2013 | Livro de Memórias, por Renata Carvalho | Blog no ar desde 03.05.2013 | Versão 2.2 no ar desde 01.01.2014 | Topo