[Blogagem Coletiva] O que é independência para mim?

quinta-feira, 11 de setembro de 2014
Este post faz parte do Rotaroots, um grupo de blogueiros saudosistas que resgata a velha e verdadeira paixão por manter seus diários virtuais. Todas as minhas postagens são da minha infância e/ou adolescência e vão até o ano de 2008, quando fiz 18 anos. Para ler todos os meus posts do Rotaroots, clique aqui. Quer participar? Então faça parte do nosso grupo no Facebook e inscreva-se no Rotation.

» No mês da independência, aproveitamos o tema para falar sobre o que é ser independente baseado em experiências pessoais. O que você espera? O que você almeja?



Há vários tipos de “independência”, mas vou falar aqui daquela que eu acredito, que mais tem a ver comigo.

Acho que ser uma pessoa independente é não ter medo ou receio de correr atrás do que se quer, do que gosta, do que sonha, do que almeja; sem fazer questão que alguém esteja junto conosco.

Ser independente dá sim um frio na barriga, afinal eu estou sozinha na minha caminhada para conquistar aquilo que eu quero. Claro que eu sempre terei o apoio da minha família e amigos sempre que eu precisar, mas estou falando daquela caminhada solitária, para se descobrir, aprender sozinha, cair e aprender a se levantar, quebrar a cara quantas vezes forem necessárias até aprender, fazer descobertas por conta própria, se jogar de cabeça e ver no que vai dar.

Nossos pais podem nos ensinar sobre as coisas até certo ponto. Eles podem descrever como é passar por determinada situação, mas você só vai aprender de fato e entender completamente o que eles estão querendo dizer somente no dia que você vivenciar na pele aquilo. E para vivenciar de verdade aquilo, você precisa se armar de coragem e ir em frente.

Bom, antes de mais nada, eu acredito que o primeiro passo para ser independente é se aceitar do jeito que você é. Nada de ficar dependendo do elogio dos outros para se achar bonita e nada de ficar esperando ouvir a opinião dos outros sobre a sua pessoa para se entender. Nessas horas a opinião de outras pessoas não deve importar muito, eu acredito que você se aceitando do jeito que é e sendo feliz com isso, é o suficiente. Se você não gosta de algo em você, então mude. Mas mude apenas porque você não gosta disso, e não porque os outros não gostam.

Ser independente é ser maduro para expressar e defender suas ideias, suas opiniões, mas também ser humilde para ouvir a opinião dos outros e aceitar, caso você ouça melhores argumentos. É não deixar de fazer algo que você queira apenas por falta de companhia. É não ficar triste só porque não tem ninguém por perto para comemorar com você algo de bom que aconteceu na sua vida.

Acho que ser independente vai muito além de sair debaixo das asas dos pais, não precisar dar satisfação para ninguém e conseguir viver sozinho do seu salário. Essa é uma conquista pessoal, um objetivo não muito fácil de ser atingido, mas também não é impossível. É uma coisa que deve ser trabalhada bem aos poucos, com calma, sem pressão. Pense nas maravilhas que isso irá te trazer. Se aceitar acima de qualquer coisa, mesma com todas as imperfeições, vai além de muita gente.

Eu ainda não cheguei nesse nível de independência, ainda preciso passar e superar muita coisa, mas luto todo dia para me superar e conquistar as coisas que eu quero. Por exemplo, hoje eu posso dizer que vou ao cinema sozinha, mesmo sem companhia. Minha mãe acha que ir sozinha é sem graça, já minha irmã acha que é vergonhoso entrar na sala de cinema desacompanhada. Mas eu discordo das duas, não vejo problema nenhum nisso, não vou deixar de assistir um filme que eu quero muito só porque não tenho ninguém pra ir comigo. Muita gente faz isso. Acredito que isso já seja um avanço, mesmo que pequeno, ainda mais levando em consideração uma pessoa tímida como eu.


E vocês, já se consideram independentes? Em quais coisas?


Follow Me:

6 comentários:

  1. Adorei as suas observações e gostei de você ter falado do cinema, por que ir sozinha sempre foi algo que eu tive vontade de fazer mas acabei não cumprindo :/

    tofalandoisa.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. No começo é difícil, eu ficava imaginando que todo mundo na sala ficava me encarando toda "forever alone", mas logo eu descobri que não tem nada a ver. Hoje eu não ligo a mínima para o que vão pensar de mim estando acompanhada ou desacompanhada, só estou lá para assistir um filme que eu queria e pronto.

      Beijos!

      Excluir
  2. Adorei o post ! eu me considero uma pessoa muito independente. nao financeiramente, claro, tenho 15 anos e ainda é a minha mae e o meu pai em que me bancam em tudo. Mas sabe de uma coisa, é muito bom ter a confinça dos pais. Vejo amigas minhas, tendo que pedir permissao para os pais para fazer determinada coisa, ou ir em tal lugar. Cara, eu me considero um ET pois a minha mae sempre confiou em mim, e sempre soube que eu sempre saberia o que seria melhor para mim, e que nao faria nada de errado. Ela confia em mim, e talvez, independencia, seja um pouco disso !

    Beeijos, ♥

    http://www.paaradateen.com
    http://www.facebook.com/PAARADATEEN
    INSTAGRAM: @luannaandrade_

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Tenho certeza que esse também seja um tipo muito importante de independência: a confiança dos pais. Isso não é algo que se conquiste facilmente.
      Eu às vezes saio para um bar com uns amigos, e minha mãe confia que eu não vou beber nada, e DE FATO não bebo, até pq não gosto de cerveja, fico lá só bebendo coca e na companhia dos amigos mesmo.
      Filhas como nós são raras, acredite. Tem tanto filho por aí que fala para os pais que vai num lugar e acaba indo para outro escondido que olha..... =/

      Beijos!

      Excluir
  3. Adorei a blogagem coletiva. e você escreve muito bem. deu para conhecer mais um pouquinho sobre você :)

    www.vivendosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Aaahh obrigada *-*
      Quando eu sento pra tentar escrever algo legal e realmente me dedico, às vezes saem uma poucas coisas boas dignas de serem postadas, hehe.

      Beijos!

      Excluir

Muito obrigada pela visita!
Se deixar seu blog/site junto com seu comentário, terei o maior prazer em retribuir a visita. ^^

Theme Base por Erica Pires © 2013 | Livro de Memórias, por Renata Carvalho | Blog no ar desde 03.05.2013 | Versão 2.2 no ar desde 01.01.2014 | Topo