[Blogagem Coletiva] Uma carta para meu eu de 10 anos atrás

terça-feira, 11 de março de 2014
Este post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots, um grupo de blogueiros saudosistas que resgata a velha e verdadeira paixão por manter seus diários virtuais. Para ler todas as blogagens coletivas do Rotaroots, clique aqui. Quer participar? Então faça parte do nosso grupo no Facebook e inscreva-se no Rotation.

Oi pessoal! o/

Entrei para um grupo muito legal de blogueiros chamado Rotaroots (acho que todo mundo já deve ter ouvido falar, exceto eu que só fui conhecer recentemente).
O objetivo do grupo é resgatar os diários virtuais antigos que definiam o que era ser blogueiro, incentivando assim a escrita livre, além de voltar com aquela velha motivação de compartilhar situações e fatos cotidianos como nos velhos tempos.
Todo mês o grupo sugere dois temas de blogagem coletiva.

Um dos temas desse mês é o Uma carta para meu eu de 10 anos atrás. Foi sugestão da Paloma, inspirada pela TAG no blog Hypeness.
A ideia é eu “de hoje” escrever uma carta para mim mesma de 10 anos atrás com conselhos, dicas ou qualquer coisa que eu ache que eu mesma deveria saber quando era mais nova.
Como hoje tenho 23 anos, minha carta vai para mim mesma quando tinha 13 anos.



Oi Rê, tudo bem?

Eu sou você dez anos no futuro, com 23 anos.
Eu sei que você sempre imagina como será sua vida quando passar dos 20 anos e tem muito medo disso, além de não conseguir sequer se imaginar alguns meses pra frente.
Você sabe que será uma adulta com responsabilidades, e essa ideia é aterrorizante para você, pois você ainda nem se adequou a deixar a infância para trás e virar uma adolescente. E você tem medo de ser atrasada, pois já tem 13 anos e todas as suas colegas de classe já estão até namorando.

Eu queria dar uma dica pra você: Keep Calm.
Não tenha pressa para se adequar aos outros, não fique se preocupando com o futuro, não tenha medo de ficar “atrasada”.
Tudo acontece no seu ritmo, tudo tem o seu tempo, inclusive você.
Pessoas que deixam a infância cedo demais como suas colegas pra virar adolescentes que namoram não é legal como elas fazem parecer.
Só desista de brincar quando você realmente cansar disso e quiser conhecer coisas novas. Daí sim seria uma boa conhecer tudo o que a adolescência tem para oferecer.

Não tente se igualar às suas colegas. Elas são elas e você é você. Não é porque elas são as “populares da sala” que todo mundo tem que ser como elas.
Cada um é único e você é especial por ser única, ter seu próprio estilo, suas próprias vontades e seus próprios gostos. É isso o que te define e te torna uma pessoa maravilhosa, mesmo que você ainda não veja isso.
Com certeza as pessoas também não vão ver o quão maravilhosa você é, afinal elas só pensam nelas mesmas e costumam criticar todo mundo que não são parecidas com elas.
Nessas horas, é extremamente importante você não se deixar abater. A opinião dessas pessoas em relação a você não poderia interessar menos. Só o que importa é o que você pensa de você mesma e mais ninguém.

Você é uma pessoa tímida e reservada, o que contradiz bastante com o jeito despojado, palhaço e popular de suas colegas da sétima série.
Tudo bem cada um ser do seu próprio jeito, mas o problema é que essas pessoas “brincalhonas e palhaças da turma” vão fazer bullying com você, para fazer toda a sala rir e torna-las ainda mais “engraçadas”.
E você, como uma pessoa tímida, não vai conseguir se defender.
O pior é que você nem deve conhecer direito esse termo “bullying”, não é? Eu sei que na sua época a escola ainda não começou a tratar desse assunto com os alunos, por isso você nem deve saber que está sofrendo isso, só o que você sabe é que essas colegas estão te humilhando.

Na sala toda, você só tem três amigas que gostam de você, mas não é como se vocês fossem as melhores amigas do mundo que sempre se apoiam. Ainda não é assim.
Elas gostam de você, mas não percebem que você está sendo humilhada, e por isso não fazem nada para te ajudar.
Você não consegue contar para ninguém, nem para professores e nem para seus pais, pois tem medo que eles façam um escândalo para resolver essa situação, que falem para toda a sala da sua situação, de modo que a humilhação se torne ainda pior nos bastidores, pelas costas dos adultos.
Medo que as pessoas fiquem cochichando sobre você e que você se torne a pessoa mais esquisita da escola. Ser o centro das atenções é o seu maior pesadelo.

Tudo isso vai durar dois anos, durante seus 13 e 14 anos, na sétima e oitava série. E esse tempo todo você vai sofrer calada.

Eu estou aqui para te avisar que mesmo dez anos depois, você ainda vai lembrar disso tudo e ainda não vai ter superado completamente.
Claro que você vai ganhar mais confiança para enfrentar as pessoas nos próximos anos e não vai mais sofrer esse tipo de coisa, mas o problema é que você não esquece tudo o que você passou e nem as pessoas, por mais que elas peçam desculpas (isso não acontece).
Uma característica sua é guardar rancor para sempre e infelizmente isso nunca muda, é isso o que te motiva a seguir em frente, embora você não tenha instintos vingativos.

Eu só queria dizer que essa fase vai passar, pessoas maravilhosas vão entrar na sua vida, amigos verdadeiros que vão te apoiar para todo o sempre. Então aguente firme.

Com 13 anos você se sente o “patinho feio”. É super magrela, frágil, não é CDF e principalmente odeia seu cabelo que é castanho escuro (uma cor que não combina com você) e muitíssimo cacheado (levando em conta ainda que você nunca soube e nem teve paciência para cuidar de um cabelo assim).
Por se achar “feia”, achava que esse também era um dos motivos para ser zoada pelas colegas. Embora elas nunca tenham te falado abertamente do seu cabelo, você tem certeza que elas cochicham sobre isso.

Se você não está satisfeita com a sua aparência, peça para sua mãe te ajudar. Você ainda não sabe cuidar do seu próprio cabelo, então até que você tenha permissão para tingir de loiro e começar a fazer escova progressiva aos 16 anos, peça para ela te ajudar.
Comprar produtos bons que vão deixar seu cabelo menos armado, peça para ela pentear e te ajudar a arrumar algum penteado que segure seu cabelo, já que você abomina deixa-lo solto, talvez uma trança ou um rabo de cavalo.
Coloque na cabeça que sua mãe sempre vai te ajudar, independente de qualquer coisa. Então perca o medo de pedir ajuda a ela.

Quanto a ser magra. Minha querida, você nasceu magra, cresceu sendo magra, com 23 anos será magra e pode ter certeza que o resto da sua vida você será magra.
Tem uma coisa que eu só fui aprender muitos anos depois. Essa é uma dica valiosíssima que você vai querer saber:
Mulheres gostosas não estão com nada. Elas passam por um esforço absurdo para não engordarem, ficam se privando de comer o que elas quiserem e passam vontades.
Já você, como uma pessoa magra que nunca engorda, pode comer o que você bem quiser, o quanto quiser e a hora que quiser. Tenha certeza que as pessoas te invejam por causa disso. Sua cintura continuará sempre fina e muito linda.
Se alguém te falar que você é muito magra, sorria e agradeça, afinal isso é uma coisa boa. Mas se te explicarem que estavam te criticando, tenha certeza que é puro recalque.
Logo você aprenderá que é preferível ser magra do que “gostosa” e se sentirá bem com seu próprio corpo.

Eu entendo que as matérias escolares não são fáceis e que você sempre ficou de exame e recuperação. Você se sente frustrada porque tem vezes que você realmente se esforça para aprender, mas mesmo assim nunca é o suficiente, nunca tira 9 ou 10.
Primeiro, fique tranquila porque os professores prestam atenção e sabem que você se esforça, por isso você nunca irá repetir de ano.
Segundo, seu rendimento escolar irá melhorar, pouco a pouco, com o passar dos anos. Suas notas vão melhorar um pouco no colegial, e mais ainda na faculdade.
É como uma amiga sempre diz: notas não definem ninguém!

Eu sei que você é uma pessoa que quase não tem amigos e vive sozinha. Lembra quando você era criança e sofria por não ter ninguém? Você achava que a escola inteira te olhava e ficava falando “que menina esquisita, ali, sozinha”, e por isso você preferia andar com meninas falsas do que ficar sozinha.
Mas agora com 13 anos isso mudou. Você já se sente um pouco melhor em ficar sozinha, afinal ninguém te compreende como você mesma. Embora você ainda ache que as pessoas estão comentando sobre você.
A verdade é que tem gente que não tem mais o que fazer e fica sim de fofoca sobre pessoas sozinhas, mas outras nem ligam e nem reparam na sua solidão como você acha.
Já tiveram pessoas que chegaram em você e perguntaram porque você vive sozinha (é, eu concordo que essas pessoas são sem noção), e pra não dizer que você não tem amigos, você diz que gosta de ficar sozinha mesmo.
Ter amigos é maravilhoso, mas quando você não tem ninguém que possa te compreender, saiba que VOCÊ MESMA é uma ótima amiga para si, a melhor que você vai arranjar, e que não tem nada de errado em ficar em companhia de você mesma.
Não é coisa de doido como as pessoas dizem. Elas só falam isso porque não compreendem, porque não gostam de ficar sozinhas. Mas você gosta e use isso a seu favor para se sentir melhor.


Enfim, para concluir, eu sei que os seus 13 anos não é uma época fácil. Talvez essa tenha sido a pior época de todos os meus 23 anos de vida.
É justamente por causa disso que você, o meu eu de 13 anos, precisava muito ler essa carta.
Por isso, aguente firme que sua vida vai melhorar aos poucos com o passar dos anos, e não piorar.

Não vim aqui dizer que você está exagerando em fazer tanto drama em silencio sem que as pessoas saibam, em chorar tanto de noite e não querer mais viver.
Fases difíceis na escola todo mundo passa.
O que você pode fazer para tornar isso menos pior é se valorizar mais, não ligar para as críticas dos outros e contar sempre com a sua mãe, ela sempre vai te ajudar, não importa o que aconteça.

P.S.: Você acha que suas colegas são infantis por ficar de mimimi, de briguinhas com outras meninas e de fofocas, não é? E ainda mal pode esperar para se tornar adulta para se livrar dessa infantilidade, certo?
Sinto muito, mas eu cresci e descobri que esse tipo de infantilidade existe em toda parte e em todas as idades.
Colegas na faculdade (ou seja, adultas) e até mesmo colegas respeitados em grandes empresas onde já trabalhei, TODOS ficam fazendo fofocas. Tem coisa mais escrota e ridícula?
Ao menos Rê, você vai aprender a não ligar a mínima para isso, não vai se deixar abater e muito menos vai ficar de fofocas sobre outras pessoas também, pois acha muito infantil.
Você tem um coração muito bom e sempre vê o lado bom das pessoas, tenta fazer amizade com todo mundo e não gosta nem um pouco de ouvir coisas negativas.
Se descobre que estão falando mal de você, só vai conseguir sentir pena dessas pessoas com mentalidade de adolescentes e não vai se deixar abater. ISSO é maturidade.


Um grande beijo do seu eu de 23 anos,
Renata.


Nossa, como eu amei fazer essa carta. Já no primeiríssimo post que eu participo desse grupo me entreguei totalmente e caí de cabeça nisso.
Lembrei de tudo o que eu passei, senti e pensei quando eu tinha 13 anos, e na carta escrevi tudo o que eu achava que deveria saber quando tinha essa idade.
Queria muito ter recebido essa carta na época.

Nostalgia total agora, mas não que eu sinta saudades, afinal como eu contei na carta, não foi uma época fácil e estou bem melhor agora.
Os anos só fizeram maravilhas para mim e continuam fazendo.
Eu fui muito feliz quando era criança. Infelizmente foi pior dos 11 aos 14, mas a partir dos 15 minha vida começou a melhorar pouco a pouco.
Por isso, mais do que qualquer outra fase da vida, o meu eu de 13 anos precisava muito receber essa carta, ouvir esses conselhos e saber que tudo vai ficar bem, apesar de todos os pesares.

Talvez eu tenha me empolgado um pouco ao escrever a carta, pois foram tantas coisas que me vieram à mente que eu queria contar, que a carta acabou ficando grandinha.

Bom, adorei essa atividade de desenvolver a escrita livre, sem julgamentos, e mal posso esperar pelas próximas. <3


Follow Me:

3 comentários:

  1. Muito linda a sua carta! Estou ficando impressionada com os excelentes conselhos e o amadurecimento das blogueiras que estão postando suas cartas. AMANDO muito :D

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Hey
    Nossa que bacana essa TAG, achei linda a carta e me identifiquei até.
    Se eu fizesse, acho que não encontraria foto minha de 13 anos.. foi uma idade bacana, tava perto de finalizar o ginásio e estava dando graças a Deus.
    Adolescência em si já é complicada, com escola então.. aquelas meninas se achando superiores.. hoje em dia eu vejo que elas não tinham nada disso.

    Adorei o novo visual do blog e o novo nome.

    tenha um ótimo final de semana

    Nana - Obsession Valley

    ResponderExcluir
  3. Adorei sua carta, Rezinha. Achei tão interessante, que vou fazer uma pra mim também, mas sem postar em lugar nenhum. Fico triste pelo que você passou, mas feliz pelo que superou. 13 anos são sempre o inferno de uma vida, hahaha.

    Conta comigo também! Te adoro pelo que você é.
    Beijão.

    ResponderExcluir

Muito obrigada pela visita!
Se deixar seu blog/site junto com seu comentário, terei o maior prazer em retribuir a visita. ^^

Theme Base por Erica Pires © 2013 | Livro de Memórias, por Renata Carvalho | Blog no ar desde 03.05.2013 | Versão 2.2 no ar desde 01.01.2014 | Topo