Coraline — Neil Gaiman

sábado, 15 de junho de 2013

Título original: Coraline
Autor: Neil Gaiman
Editora: Rocco
Gênero: Fantasia/Literatura Infanto-Juvenil/Terror
Ano: 2003
Páginas: 160
ISBN: 9788532516268
Lido em: Junho de 2013
Nota:
Sinopse: A história de Coraline é de provocar calafrios. A narrativa dá muitas voltas e percorre longas distâncias, criando um ‘outro’ mundo onde todos os aspectos de vida são pervertidos e desvirtuados para o macabro. Ao mesmo tempo sutil e cruel, o autor gosta de desafiar as imagens simples dos livros infantis tradicionais. No livro, a jovem Coraline acaba de se mudar para um apartamento num prédio antigo. Seus vizinhos são velhinhos excêntricos e amáveis que não conseguem dizer seu nome do jeito certo, mas encorajam sua curiosidade e seu instinto de exploração. Em uma tarde chuvosa, a menina consegue abrir uma porta que sempre estivera trancada na sala de visitas de casa e descobre um caminho para um misterioso apartamento ‘vazio’ no quarto andar do prédio. Para sua surpresa, o apartamento não tem nada de desabitado, e ela fica cara a cara com duas criaturas que afirmam ser seus “outros” pais. Na verdade, aquele parece ser um “outro” mundo mágico atrás da porta. Lá, há brinquedos incríveis e vizinhos que nunca falam seu nome errado. Porém a menina logo percebe que aquele mundo é tão mortal quanto encantador e que terá de usar toda a sua inteligência para derrotar seus adversários.

Resenha: Eu nunca tinha ouvido falar desse livro e nem do autor até o lançamento do filme baseado nesse livro: Coraline e o Mundo Secreto (2009).
Apesar de não ter achado o melhor desenho que já vi na vida, ainda assim eu gostei. E foi só recentemente que eu descobri que esse desenho foi baseado num livro, do britânico Neil Gaiman, e resolvi ler.

Coraline é uma menina que se muda com os pais para uma casa grande que foi dividida em quatro apartamentos: o dela, o das senhoritas Spink e Forcible, e o do senhor estranho que mora no andar de cima.
O que ela gosta mesmo de fazer é explorar, e num dia que está com tédio, ela resolve fazer justamente isso. Acaba descobrindo uma porta que foi fechada com tijolos e fica muito curiosa para saber o que há do outro lado.
Numa noite, ela foi acordada por uns ratos no quarto dela, e ao segui-los, acabou na porta com tijolos – mas não havia mais tijolos –, então ela pode atravessar e se viu numa casa que era igual a sua casa que acabou de deixar, mas ao mesmo tempo muito diferente.
Lá ela se encontra com sua outra mãe e seu outro pai que estão muito dispostos a dar-lhe tudo o que ela quiser, apenas do bom e do melhor. E embora a ideia de viver desse jeito seja tudo de bom, Coraline desconfia que há alguma coisa errada e fica com um pé atrás com relação àquela casa e àquelas pessoas.

Eu nunca pensei que fosse ver o dia em que eu encontraria um filme que fosse melhor do que o livro em que foi baseado, mas isso aconteceu com Coraline.
Não sei explicar muito bem, mas o livro não me conquistou. Não achei que os mistérios descritos fossem tão instigantes assim, mesmo levando em conta que é algo para crianças.

O livro é bem curto, normalmente eu teria lido num único dia, mas eu acabei levando uma semana para terminar.
Estava muito entediante, minha atenção se desviava a todo instante. Eu cheguei a ler um livro grande e dois pequenos ao mesmo tempo que esse, e terminei eles primeiro, ficando Coraline por último.

Infelizmente não me agradou, e olha que eu estava com a mente aberta e disposta a aceitar esse tipo de história.

Mas não achei uma perda total de tempo. O livro tem sim seus momentos que eu achei bons, uma pena que foram poucos. Mas eu gosto dessas história de terror para crianças e tenho certeza que essa é uma boa indicação, por isso eu classifiquei o livro como regular, ao invés de ruim.

2 comentários:

  1. Oi Rê, tudo bem?

    comigo funcionou da mesma forma que vc. Conheci o livro depois do lançamento do filme, mas não me deu vontade de ler não. Quando não curto um livro o tempo de leitura dele triplica pra mim. Levei quase um mês pra ler Morte Subita, por exemplo. Te entendo totalmente! Pena que vc não curtiu mt Coraline.

    beijos
    Kel
    porumaboaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Kel!

      É realmente uma pena quando isso acontecesse, e olha que normalmente eu não leio um livro com má vontade (senão nem leria), eu sempre estou disposta a dar uma chance.
      Eu também empaquei na leitura de Morte Súbita. Espero que agora nas férias, quando eu estiver livre da faculdade, eu tenha tempo para ler esse livro com mais calma, pq agora não tá rolando... =/

      Beijos!

      Excluir

Muito obrigada pela visita!
Se deixar seu blog/site junto com seu comentário, terei o maior prazer em retribuir a visita. ^^

Theme Base por Erica Pires © 2013 | Livro de Memórias, por Renata Carvalho | Blog no ar desde 03.05.2013 | Versão 2.2 no ar desde 01.01.2014 | Topo