Como eu era antes de você — Jojo Moyes

quarta-feira, 5 de junho de 2013


Título original: Me Before You
Autor: Jojo Moyes
Editora: Intrínseca
Gênero: Romance
Ano: 2013
Páginas: 320
ISBN: 9788580573299
Lido em: Junho de 2013
Nota:

Sinopse: Aos 26 anos, Louisa Clark não tem muitas ambições. Ela mora com os pais, a irmã que é mãe solteira, o sobrinho pequeno e um avô que precisa de cuidados constantes desde que sofreu um derrame. Trabalha como garçonete num café, um emprego que não paga muito, mas ajuda nas despesas, e namora Patrick, um triatleta que não parece interessado nela. Não que ela se importe.
Quando o café fecha as portas, Lou é obrigada a procurar outro emprego. Sem muitas qualificações, consegue trabalho como cuidadora de um tetraplégico. Will Traynor, de 35 anos, é inteligente, rico e mal-humorado. Preso a uma cadeira de rodas depois de um acidente de moto, o antes ativo e esportivo Will desconta toda a sua amargura em quem estiver por perto. Tudo parece pequeno e sem graça para ele, que sabe exatamente como dar um fim a esse sentimento.
O que Will não sabe é que Lou está prestes a trazer cor a sua vida. E nenhum dos dois desconfia de que irá mudar para sempre a história um do outro. Como eu era antes de você é uma história de amor e uma história de família, mas acima de tudo é uma história sobre a coragem e o esforço necessários para retomar a vida quando tudo parece acabado.


Ser atirada para dentro de uma vida totalmente diferente – ou, pelo menos, jogada com tanta força na vida de outra pessoa a ponto de parecer bater com a cara na janela dela – obriga a repensar sua ideia a respeito de quem você é. Ou sobre como os outros o veem.
Resenha: Acabei de ler esse livro e vim correndo fazer essa resenha, mas não antes de levar uns cinco minutos parada, refletindo, tentando aceitar e assimilar tudo. São poucos os livros que conseguem me chocar, e sem dúvida nenhuma esse foi um deles.
Fazia muito tempo que eu não lia um livro tão emocionante e que não chorava tanto.

O que você faria se o amor da sua vida desistisse de viver? Lutaria por ele ou deixaria-o morrer em paz?

Will e Lou são pessoas completamente diferentes. Viviam praticamente em universos paralelos. Will era um CEO de sucesso em Londres, ambicioso, rico, tinha uma namorada perfeita, digna de capa de revista e adorava uma aventura. Vivia sua vida ao máximo!
Lou morava numa pequena cidade turística do interior que girava em torno de um Castelo histórico. Tinha 26 anos, trabalhava em um café, morava com os pais, tinha um namorado chamado Patrick e nenhuma ambição ou objetivo na vida.
Até que um dia eles são obrigados a sair de suas zonas de conforto e encarar uma realidade muito diferente. Will sofre um acidente e fica tetraplégico. Lou é demitida do café em que trabalhava há 6 anos e se vê sem emprego, sem experiência e sem qualificações, tendo que procurar um emprego qualquer para ajudar nas despesas da casa.
O único emprego aparentemente para o qual ela seria apta a se candidatar era o de cuidadora de um tetraplégico. Mas ela não tinha experiência alguma como cuidadora, muito menos com “tetras”. Mesmo assim acaba sendo contratada pela Sra. Traynor e é dessa forma que Will e Lou acabam se conhecendo.
Num primeiro momento Lou odeia o emprego. Will é hostil, amargo e agressivo com ela, mas Lou tenta aguentar firme pelo dinheiro. Aos poucos eles acabam se aproximando e construindo uma relação intensa de intimidade e amizade que se transforma em amor. Não somente no amor romântico, mas no amor verdadeiro, que rompe todos os obstáculos, que se flexibiliza, que vê beleza onde não há.
O problema é que Lou descobre que Will não só é um potencial suicída como deu um prazo de 6 meses de vida para os seus pais se despedirem dele e se acostumarem com a ideia de não tê-lo por perto para depois finalmente se suicidar na clínica Dignitas, na Suiça.
Lou fica chocada e arrasada com a notícia e tenta com todas as suas forças fazer Will desistir dessa ideia. Ela tem 6 meses para mostrar para Will que ele tem motivos para viver e ser feliz, e ela não está disposta a perder essa batalha. Será que ela irá conseguir?

Eu dispunha de cento e dezessete dias para convencer Will Traynor de que ele tinha motivos para viver.
Quando eu comecei a ler esse livro, eu imaginava que seria um romancezinho água com açúcar, mas eu não podia estar mais enganada.
A história é realmente triste e principalmente realista. Não acontece nenhum “milagre” como vemos em tantas histórias, do tipo que cai do céu justamente o que os personagens queriam, que acontece alguma reviravolta mirabolante e tudo fica bem.
O livro é um retrato fiel da vida, com todas as suas alegrias e tristezas.

Nos faz refletir profundamente sobre como é a vida de um cadeirante, que pode ser mais difícil do que parece. E como se não bastasse ter que aturar o olhar de pena das pessoas, o próprio cadeirante não consegue aceitar que aquela é a nova realidade dele, e não há nada que ele possa fazer para mudar isso.

Ao longo de toda a minha leitura eu não parava de desejar que algum milagre acontecesse sim, ainda sentia esperanças, para depois lembrar a mim mesma que aquela história era realista e que era muito improvável que isso acontecesse.

Ele é principalmente narrado em primeira pessoa pela Lou, mas temos alguns poucos capítulos narrados por outros personagens secundários próximos, fazendo com que a gente conheça outros pontos de vista da história.

O livro é muito bem escrito, com riqueza de detalhes que deixa pouco para a imaginação.
A leitura é muito recomendada para aqueles que querem e precisam tomar um choque de realidade, afinal a vida real não é o que estamos acostumados a ler em romances felizes, mas sim o que é descrito nesse livro.

8 comentários:

  1. Já queria ler, depois da sua resenha essa vontade aumentou,
    gosto de livros que dão choque de realidade e nos fazem refletir, me interessei bastante pela premissa do livro.

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Então somos duas!
      Eu gosto de romances, mas às vezes esses livros que falam da realidade são necessários e nos tocam muito mais profundamente.

      Beijos!

      Excluir
  2. Oi Renata.
    Esse livro ta em ponto de partida no kindle, mas antes tenho que terminar de ler um do desafio literário, mas estou bem curiosa, todos falam bem dele.
    Forte isso hein: "afinal a vida real não é o que estamos acostumados a ler em romances felizes, mas sim o que é descrito nesse livro."

    Beijos
    Leituras da Paty

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Paty!
      Esse livro é muito tenso, mas ao mesmo tempo muito bom, você vai gostar. Nos faz parar para refletir muito.

      Beijos!

      Excluir
  3. Eu sempre choro em livros assim, com grande apelo emocional! Rsrs.
    Vou tentar incluir na lista! Tem cara de um futuro favorito...
    Beijo,
    Vinícius - Livros e Rabiscos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. E eu não chorei? Somos dois então! haha
      Esse já entrou pra minha lista de favoritos com certeza, é muito bom.

      Beijos!

      Excluir
  4. Oi Renata, tudo bom?
    Poxa, só vejo gente comentando super bem desse livro, esse final de semana preciso ir na livraria rsrs!
    Adorei sua resenha!
    Tem promoção e post novo
    Beijos
    Endless Poem

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Sarah! o/ Bem vinda! ^^
      Era tanta gente falando tão bem desse livro que eu corri pra ler, passando até na frente de um monte de livros que estão na fila. haha

      Obrigadaa! ^^
      Aguarde minha visita no seu blog.

      Beijos!

      Excluir

Muito obrigada pela visita!
Se deixar seu blog/site junto com seu comentário, terei o maior prazer em retribuir a visita. ^^

Theme Base por Erica Pires © 2013 | Livro de Memórias, por Renata Carvalho | Blog no ar desde 03.05.2013 | Versão 2.2 no ar desde 01.01.2014 | Topo