Cinquenta Tons Mais Escuros — E.L. James

sexta-feira, 21 de junho de 2013
Trilogia: Cinquenta Tons #2

Título original: Fifty Shades Darker
Autor: E.L. James
Editora: Intrínseca
Gênero: Romance/Hot
Ano: 2012
Páginas: 512
ISBN: 9788580572100
Lido em: Outubro de 2012
Nota:
Sinopse: Assustada com os segredos obscuros do belo e atormentado Christian Grey, Ana Steele põe um ponto final em seu relacionamento com o jovem empresário e concentra-se em sua nova carreira, numa editora de livros. Mas o desejo por Grey domina cada pensamento de Ana e, quando ele propõe um novo acordo, ela não consegue resistir. Em pouco tempo, Ana descobre mais sobre o angustiante passado de seu amargurado e dominador parceiro do que jamais imaginou ser possível. Enquanto Christian tenta se livrar de seus demônios interiores, Ana se vê diante da decisão mais importante da sua vida.

Enquanto que no livro anterior, Cinquenta Tons de Cinza, Christian se mostra esse personagem forte e dominador, em Cinquenta Tons Mais Escuros seus muros começam aos poucos a caírem e a revelar o seu verdadeiro eu, o homem atormentado que ele na verdade é.

Ana já aceitou faz tempo que o ama e que não consegue mais viver sem ele, ela virou uma maníaca sexual e tem várias crises existenciais. Por conta disso, ela também o faz se abrir para ela, e é assim que ele revela seus demônios e se torna praticamente inseguro, vulnerável e submisso em relação a ela.
Mais do que nunca, eles se tornam dependentes um do outro, a ponto de ser sufocante.

Há uma inversão de papéis nesse livro. Christian abre mão de todo o BDSM para não assustar Ana e fazê-la ir embora (depois de ter sofrido muito com isso no final do primeiro livro) e se contenta com sexo baunilha. Ana, por outro lado, começa a sentir saudades de levar umas “palmadas” e fica insistindo para ele levá-la ao Quarto Vermelho da Dor.

Claro que há sempre aqueles personagens coadjuvantes que toda boa história deve ter para estourar a bolha de felicidade e perfeição em que os protagonistas estão.
Nesse livro, aparece a ex-submissa de Christian, Leila, que está disposta a se vingar por ter sido deixada na mão.
E além também de José (que havia tentado conquistar Ana do livro anterior, mas nesse ele aceitou a sua condição de apenas amigos), surge Jack, o chefe de Ana, que está sempre disposto a beneficiá-la e olhar feio para Christian.

Há também outros romances na história para complementar, uma verdadeira família:
Mia (irmã de Christian) está se derretendo toda por Ethan (irmão de Kate). E claro, Kate (amiga de Ana) está completamente apaixonada por Elliot (irmão de Christian).
Sem dúvida é uma boa sacada da autora para não deixar os coadjuvantes próximos na mão (também queremos saber o que acontece com eles) e também para não ficar apenas na mesmísse que é Christian e Ana.

Muita gente pode ter achado toda essa dependência de Christian e Ana um com o outro sufocante e melosa demais, mas EU discordo.
Acontece que eu sou apaixonada por essa série, e quando isso acontece, é raro eu ver qualquer defeito. Quero dizer, se me agradou, por que vou ficar procurando algum defeito?

Gostei desse livro porque ele mudou do primeiro para o segundo, como tem mesmo que acontecer numa série para não ficar sempre na mesma, mas sem perder a sua essência.
Passamos a conhecer um lado do Christian que antes não conhecíamos, enquanto que Ana mudou seu jeito de ser, deixou de ser inocente, e admitiu que gosta e precisa de sexo tanto quanto ele.


 A Trilogia:

Fifty Shades Trilogy
1. Fifty Shades of Grey (2011) – Cinquenta Tons de Cinza
2. Fifty Shades Darker (2011) – Cinquenta Tons Mais Escuros
3. Fifty Shades Freed (2012) – Cinquenta Tons de Liberdade

6 comentários:

  1. Oi Rê, tudo bem?

    Olha, vou te confessar que não curto livros hots, menos ainda se for 50 tons! Não consegui terminar esse segundo livro e nem cheguei a pegar o terceiro. Não me adaptei a escrita da autora, senti as coisas todas muito forçadas, enfim... não curti. Mas fico feliz que vc tenha gostado do livro e entendo totalmente o seu ponto de vista =D

    beijos
    Kel
    porumaboaleitura.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acho que livros hot são assim mesmo, ou vc ama ou vc odeia. Não tem meio termo e vai do gosto de cada um. ^^

      Beijos!

      Excluir
  2. Tenho que ler esse livros
    terminei o primeiro a uma eternidade...
    mas desde então surgiram tantos livros que não tenho conseguido encontrar tempo para terminar a trilogia. Assim como você não tenho nada contra 50 tons, pelo contrário, é um livro que apesar de certos clichês e algumas situações forçadas, me prende do inicio ao fim.

    http://soubibliofila.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Essa série, Cinquenta Tons, foram os primeiríssimos livros hot que eu li. Acabei adorando e lendo todos os três de uma só vez num curto espaço de tempo.
      E é como vc disse, é inegável que é clichê, mas ainda assim a gente não consegue deixar de se encantar com a história. haha

      Beijos!

      Excluir
  3. Não li nenhum livro dessa série ainda. Nada, nada. E geralmente as resenhas falam tão mal deles, que finquei meus pés lá trás. Confesso que me surpreendi com a tua resenha e com o fato de vc ter gostado tanto da série, mostrou um outro lado, uma complexidade que a galera não tinha mencionado que havia. Fiquei curiosa a respeito. rs Talvez acabe lendo afinal...

    www.reticenciando.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Se vc gosta de livros hot, então essa série é leitura obrigatória.
      Vc deve ter lido apenas as resenhas de quem não gosta desse tipo de tema, mas há também algumas resenhas por aí, eu já vi, de pessoas que dizem ter adorado o livro.
      Enfim, é pura questão de gosto.
      E quanto à complexidade do livro, acho que ela só foi enxergada por aqueles que gostam do livro, daí eles viram muito mais na história do que apenas cenas picantes.

      Beijos!

      Excluir

Muito obrigada pela visita!
Se deixar seu blog/site junto com seu comentário, terei o maior prazer em retribuir a visita. ^^

Theme Base por Erica Pires © 2013 | Livro de Memórias, por Renata Carvalho | Blog no ar desde 03.05.2013 | Versão 2.2 no ar desde 01.01.2014 | Topo