Fiquei com o seu número — Sophie Kinsella

sábado, 18 de maio de 2013

Título original: I’ve got your number
Autor: Sophie Kinsella
Editora: Record
Gênero: Romance/Comédia/Chick-lit
Ano: 2012
Páginas: 464
ISBN: 9788501098634
Lido em: Maio de 2013
Nota:

Sinopse: A jovem Poppy Wyatt está prestes a se casar com o homem perfeito e não podia estar mais feliz... Até que, numa bela tarde, ela não só perde o anel de noivado (que está na família do noivo há três gerações) como também seu celular. Mas ela acaba encontrando um telefone abandonado no hotel em que está hospedada. Perfeito! Agora os funcionários podem ligar para ela quando encontrarem seu anel. Quem não gosta nada da história é o dono do celular, o executivo Sam Roxton, que não suporta a ideia de haver alguém bisbilhotando suas mensagens e sua vida pessoal. Mas, depois de alguns torpedos, Poppy e Sam acabam ficando cada vez mais próximos e ela percebe que a maior surpresa da sua vida ainda está por vir.

Resenha: Esse livro foi tão muitíssimo bem recomendado que eu o coloquei como prioridade de leitura, na frente de vários outros que estão na minha lista de futuras leituras há muito tempo.
Mas o que eu podia fazer? Quando mais as pessoas falavam desse livro, mais eu ficava ansiosa para ler.

Ele conta a história de Poppy, uma moça que vai se casar e está muito feliz com isso. Numa reunião com as amigas no hotel, ela mostra seu valiosíssimo anel de casamento para todas que pedem para experimentar. Há uma confusão com o alarme de incêndio, muitas pessoas correndo para todos os lados, e quando Poppy se dá conta... Cadê o anel?
Ninguém viu e ela fica desesperada. Ela dá seu número de celular para todas as pessoas no hotel, pedindo para ligarem para ela, caso encontrem o anel, mas como se não bastasse isso, o celular dela é roubado.
Por sorte ela encontra outro celular abandonado numa lata de lixo e fica com ele, ela dá o novo número para todos no hotel e vai embora. Acontece que o dono do celular, Sam, quer ele de volta, e Poppy não quer devolver, afinal todos estão com o número daquele celular e vão ligar caso seu anel aparece.
Poppy então faz um acordo com Sam, ela promete encaminhar para ele todas as mensagens e e-mails que chegarem, e ele concorda, não que tenha outra escolha, afinal ela insiste muito, levemente desesperada.
Aos poucos, com o tempo, eles vão se conhecendo, trocando muitas mensagens e se vendo pessoalmente, e acabam se ajudando, sem saberem aonde tudo isso iria levá-los...

O livro é realmente muito engraçado, não só de romance ele é feito. São realmente raros os livros que conseguem me fazer rir tanto.
A personagem muitas vezes perde a cabeça no seu desespero, o que a leva a fazer coisas absurdas, afinal o que o desespero não faz?
Achei um desenrolar da história muito bom. Vários acontecimentos seguem adiante contando o que acontece depois, ao invés de parar num certo ponto e deixar o leitor imaginar o resto, como já vi acontecer muitas vezes.

Ah, e uma coisa que eu gostei muito é que a Poppy e o Sam são muito diferentes um do outro. Ele é sério e não dá nem “oi” para as pessoas e ela meio que fica implorando por atenção, sem perceber. Quando estão juntos eles apontam essas características um no outro e começam a perceber o jeito que são e tentam mudar isso, aprendem um com o outro. Ela passa a se impor mais e ele se torna mais sociável.

E amei particularmente a cena deles dois na floresta à noite. Ficou tudo muito lindo e romântico, simplesmente adorei.
E também adorei o fato de, quem parecia ser vilão, na verdade sempre foi o mocinho, e vive-versa. Foi uma grande reviravolta nos acontecimentos muito inteligente.

Bom, e por mais engraçada que a Poppy seja, eu só perdi a paciência e me frustrei nas horas em que ela tentava “ajudar” o Sam, e acabava complicando mais ainda a vida dele. Não era óbvio que não ia dar certo? Foi só por esse motivo que eu dei quatro estrelas, e não cinco.
Tem horas nessa história que ela é muito inteligente, percebe as coisas que ninguém mais notou, o que contradiz com os momentos de querer ajudar dela. Não parece que é a mesma pessoa.

Mas fora isso eu gostei muito mesmo. Valeu a pena ter lido e recomendo a leitura. Já estou até com saudades da Poppy e do Sam!

2 comentários:

  1. Essas contradições são meio chatas mesmo, mas fazer o que? Alguns autores se perdem um pouco nessas horas, chega a irritar. :(
    Mas eu ainda quero muito ler esse livro. <3

    Um beijo,
    Luara - Estante Vertical

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É, as vezes acontece, acho que os autores de empolgam quando estão escrevendo a história. haha
      Mas ainda assim não tira a graça do livro, continua sendo muito bom. ^^

      Beijão!

      Excluir

Muito obrigada pela visita!
Se deixar seu blog/site junto com seu comentário, terei o maior prazer em retribuir a visita. ^^

Theme Base por Erica Pires © 2013 | Livro de Memórias, por Renata Carvalho | Blog no ar desde 03.05.2013 | Versão 2.2 no ar desde 01.01.2014 | Topo